Descubra como fortalecer o assoalho pélvico feminino

Quando falamos sobre autoconhecimento feminino, não estamos apenas nos referindo às questões relacionadas à liberdade sexual, financeira, entre outras, mas sobre consciência corporal

Isto é, considerar questões, tanto físicas, quanto mentais e espirituais.  Afinal, o nosso corpo seguirá conosco ao longo da vida e, por isso, merece a nossa atenção, bem como o nosso cuidado.

Assim sendo, saber um pouco sobre anatomia não faz mal a ninguém. Mas, calma! Não estamos propondo que você se torne especialista no assunto. Para isso, existem as áreas da saúde. 

A proposta aqui é outra: expandir o seu horizonte para a importância de partes específicas do corpo, como o assoalho pélvico feminino, que desempenham uma função extremamente importante.

O que é assoalho pélvico feminino

O assoalho pélvico feminino, também chamado de piso pélvico, é um complexo de tecidos fibrosos, ligamentos e músculos que oferecem sustentação a órgãos como intestino, bexiga, útero e reto.

Em síntese, ele funciona como uma “rede de proteção”, dividido em duas seções, a pelve e o períneo, e está ligada à nossa capacidade de controlar urinas e fezes.

Caso o assoalho pélvico, ao longo dos anos, for perdendo força, bem como sua capacidade de sustentação, é provável que esses órgãos, em linguagem popular, “caiam”. Se isso ocorrer, a médica ginecologista do Hospital Israelita Albert Einstein, Lilian Fiorelli, detalhou ao Uol alguns dos problemas mais comuns.  

“Assoalho pélvico flácido ou não fortalecido pode resultar em problemas de saúde como incontinências urinária e fecal, bexiga posicionada abaixo de onde deveria (bexiga caída) e, em casos de gestantes, lacerações perineais”, finaliza Fiorelli.  

No entanto, como o assoalho pélvico é um músculo, ele pode ser exercitado a ponto de ficar fortalecido. E quando fortalecido de forma adequada, não apenas ajuda a prevenir o surgimento dos problemas acima citados, como traz benefícios. 

Ou seja, Palma, Palma! Não priemos cânico!

Até porque, ao longo do texto, você poderá conferir vários exercícios para fortalecer o assoalho pélvico feminino. Mas, antes, vamos entender um pouco mais sobre onde ele se encontra em nosso corpo, bem como de que forma ele funciona. 

Assoalho pélvico feminino: anatomia

Em primeiro lugar, é importante frisar que estamos falando sobre o assoalho pélvico feminino, por motivos óbvios, mas os homens também o possuem. Dito isso, esse grupo de músculos localiza-se na região entre ânus e genitais

Em outras palavras, se imaginarmos o nosso corpo de lado, em uma visão raio-x, o assoalho pélvico feminino encontra-se acima da vagina e do ânus, abaixo do útero, do reto e da bexiga. Assim sendo, ele serve de “rede de proteção” dos últimos três órgãos citados.

No caso específico das mulheres, por conta da sua localização, ele recobre e protege internamente a vagina, compondo o anel pericervical. 

No entanto, é curioso saber que a parte mais profunda do assoalho pélvico não está localizada na parte mais superficial (perto da vagina) e, sim, na parte de trás (perto do cóccix); ele representa 90% do músculo. 

Tratando-se do seu funcionamento, nas condições mais cotidianas, como quando andamos, pulamos, tossimos ou espirramos, o assoalho pélvico feminino se contrai para que a gente não tenha perda de urina. 

Em outras palavras, é um músculo que está constantemente ativado e relaxa somente na hora em que nós, mulheres, vamos fazer xixi, cocô, quando expelimos gases intestinais e no parto.  

Depois de entender o que é o assoalho pélvico feminino, bem como um pouco da sua anatomia, é impossível ignorar sua importância ou tomar consciência sobre ele. 

Inclusive, é por isso que existe a Fisioterapia Pélvica, uma especialidade que atua na reabilitação e fortalecimento, através de exercícios, do assoalho pélvico.

Exercícios para assoalho pélvico feminino

Agora que você já entendeu o quão essencial é esse músculo na sua vida, há um caminho muito claro a seguir: marcar uma consulta com uma fisioterapeuta pélvica. 

Além disso, você também pode separar um tempinho da sua rotina e começar a se exercitar em casa, com o auxílio do blog da clínica Ayroza Ribeiro. Abaixo, você confere como: 

  1. Como se você estivesse fazendo xixi, contraia o músculo pélvico como se você estivesse interrompendo o fluxo. No entanto, cuide para não fazer o mesmo com o abdômen e nádegas.
  2. Permaneça com o músculo contraído por 4 segundos. Com a repetição, logo você conseguirá manter a contração por 10 segundos. 
  3. Ao fazer isso, coordene a respiração, pois a tendência é que você tranque-a. Isto é, inspire pelo nariz na contração e solte o ar pela boca quando estiver relaxando o músculo. 
  4. Faça de 10 a 20 repetições três vezes por dia.

“A vantagem desse tipo de exercício é que você pode realizá-lo em qualquer lugar e a qualquer momento. Enquanto cozinha, assiste televisão, no trabalho, durante uma leitura ou até mesmo deitada na cama”, conclui o blog Ayroza Ribeiro.

Benefícios de “malhar” o assoalho pélvico

Ao fazer os exercícios acima citados de forma correta ou realizar um acompanhamento com uma especialista, você perceberá benefícios a curto, médio e longo prazo, como: 

  • Evitar perda urinária;
  • Preparar para o parto e pós-parto;
  • Melhorar a postura;
  • Aliviar dores pélvicas;
  • Melhorar a lubrificação do canal vaginal.

E aí, curtiu saber mais sobre o assoalho pélvico feminino? Então, aproveite e continue explorando o blog da Fleurity. Quer uma sugestão de conteúdo? Será que você tem Amenorreia? Saiba o que é, as causas e tratamento!

Carrinho de compras

Não há mais produtos disponíveis para compra

Seu carrinho está vazio.

✔️ Produto adicionado com sucesso.