Como descobrir e estimular o seu ponto G (descubra outros pontos também)

Como descobrir e estimular o seu ponto G (descubra outros pontos também)

Será que o ponto G feminino existe mesmo?

E se existe, como achar e estimular esse tal ponto G?

A sexualidade feminina ainda é um assunto cheio de mitos e mistérios até mesmo para os especialistas...

A chave para o prazer feminino, o famoso ponto G, é um dos principais mistérios desde a sua descoberta, que aconteceu em 1950.


A pesquisadora australiana Helen O’Connell, afirma que o prazer causado pelo ponto G na verdade é resultado do "atrito entre o clitóris, a uretra e a parede vaginal”.

Por outro lado, uma pesquisa realizada pelo ginecologista americano Adam Ostrzenski garante ter encontrado a localização exata desse ponto de prazer.

Afinal, qual teoria está correta? 

Na realidade, isso não importa! Sabe por quê? 

Os dois estudiosos acreditam que de fato há uma região dentro da vagina capaz de provocar um prazer intenso às mulheres.

Por esse motivo, conhecer o seu próprio corpo e entender quais estímulos geram prazer é fundamental para que você tenha relações sexuais mais prazerosas. 

O autoconhecimento é o que vai te levar para o caminho do prazer, seja na masturbação ou durante as relações sexuais...

Neste artigo você vai descobrir como estimular o ponto G e conhecer outras zonas erógenas do nosso corpo 

Onde fica o ponto G da mulher?

Geralmente, o ponto G fica localizado entre 2 a 3 cm após a entrada vaginal.

Mas antes de colocar os dedos, é importante ficar excitada nesse momento. Sabe por quê?

Porque quando se está excitada, a região fica mais sensível ao toque, sendo mais fácil de identificar a área que te proporciona mais prazer.

Sendo assim, para aprender os seus maiores pontos de prazer, você pode contar com a ajuda de vibradores durante a masturbação!

Então, primeiramente, lave beeem os dedinhos e vamos ao passo a passo de como achar o ponto G:

Introduza o dedo indicador na vagina com a palma da mão virada para cima e faça o movimento de “vai e vem” com o dedo...

Você pode sentir uma região mais áspera ou um pouco mais rugosa, o seu ponto G pode se encontrar nesta região!

Porém, cada corpo é um corpo, e pode não haver uma textura específica para o seu ponto G, tá bom?

Ou seja, a melhor forma de encontrá-lo é praticando o autoconhecimento e experimentando as regiões que te dão mais prazer!

Lembrando: o ponto G fica entre 2 a 3 cm da abertura vaginal, então, vá aos pouquinhos sentindo cada textura e a sensibilidade do toque, viu?!

Eu vou te mostrar uma imagem para você entender com mais facilidade onde está localizado o ponto G:

Achou? Então chegou o momento de aproveitar as sensações maravilhosas que esse ponto G pode te proporcionar!

“Use uma pressão firme e profunda para acariciar a área. Tente um movimento circular ou mais de uma técnica para cima e para baixo” sugere Yvonne K. Fulbright, educadora de sexualidade.. 

Outro método bem conhecido que também é maravilhoso, é mover seus dedos em um movimento “vai e vem” com os dedos.

Enfim, você quem vai decidir aquilo que é mais prazeroso, aproveite o seu momento e divirta-se!

Quer saber mais sobre a masturbação feminina?

Veja aqui: Se toca, liberte se e descubra o prazer da masturbação

Por que o autoconhecimento é importante para o ponto G

Você sabia que a meditação pode te ajudar a encontrar os caminhos para o prazer

A meditação, além de promover o autoconhecimento, também pode trazer diversos benefícios para a vida sexual!

A Universidade Católica de Louvain (Bélgica), realizou um estudo com 251 mulheres entre 18 e 67 anos.

Esse estudo revelou que as mulheres que conseguiam se concentrar no momento de masturbação – seja sozinha ou com o(a) parceiro(a) – tinham mais facilidade em atingir o orgasmo durante o sexo.

Isso significa que praticar a meditação diariamente também traz benefícios para os momentos picantes…

Afinal, com a meditação você aprende a relaxar o corpo e focar no momento presente, afastando os pensamentos.

O autoconhecimento, ou seja, entender o próprio corpo é essencial para que você tenha experiências prazerosas na cama…

Conhecer quais são seus pontos mais prazerosos permite que você consiga se satisfazer sozinha e também mostrar para o seu parceiro – ou parceira – a forma de ter um orgasmo mais satisfatório!

Vários estudos mostram uma facilidade maior de se atingir o orgasmo através da masturbação do que no ato sexual...

Isso acontece porque você está focada no seu prazer, sem se julgar ou se preocupar com a outra pessoa.

Além disso, as chances dos estímulos terem intensidade e duração ideal para atingir o orgasmo é maior.

É importante que a pessoa com quem você se relaciona esteja disponível para escutar, saber o que agrada, o que você quer e como quer!

Conheça as zonas erógenas do nosso corpo

Sabe aquela parte do seu corpo que quando é tocada, parece emitir faíscas e te deixa toda arrepiada?

Provavelmente, essa é uma das suas zonas (isso mesmo, das zonas) erógenas. 

O nosso corpo é cheio de regiões sensíveis que ao serem estimuladas podem aumentar o desejo sexual e resultar em muito prazer...

Essas regiões sensíveis são chamadas de zonas erógenas!

As zonas erógenas podem e devem ser estimuladas para desencadear uma reação prazerosa de excitação, aumentar o desejo sexual e também a lubrificação.

Interessante, não é mesmo?

Vamos descobrir quais são as zonas erógenas mais comuns e como estimulá-las da forma mais prazerosa possível.

Pescoço

A região do pescoço e da nuca, é uma área sensível para a maioria das pessoas…

Por esse motivo, essa região merece ser tocada e beijada durante as preliminares e no decorrer do sexo. 

Afinal, essa região sensível causa arrepios e apimenta a hora H.

É interessante saber em qual região do seu pescoço você sente mais sensibilidade, como cócegas ou uma sensação mais

prazerosa: na frente, na lateral, na região da nuca, atrás da orelha?

Descubra e abuse dessa zona erógena maravilhosa!

Orelhas

Assim como no caso do pescoço, essa região ao ser tocada provoca arrepios que aumentam a excitação. 

Aproveite para acariciar as orelhas, dar beijos, lambidas e também manter a respiração ofegante ali no ouvido da pessoa com quem você se relaciona…

Explore a audição para aumentar o prazer com palavras carinhosas e mais picantes! 

Mente

Por incrível que pareça, a mente é a nossa maior zona erógena

Sabe por quê?

É a mente que vai permitir ou não que todo o corpo seja explorado. 

Se a sua mente estiver cheia de pensamentos ruins, não vai rolar!

Ela precisa estar relaxada para que todas as outras zonas erógenas do nosso corpo possam ser exploradas e responder aos estímulos.

Você pode relaxar a sua mente com beijos, toques, conversas… explore-se!

Seios e mamilo

Apesar das mamas serem uma zona de prazer, o mamilo e na região ao redor deles é a parte mais sensível!

Você pode estimular essa zona com as pontas dos dedos, fazendo movimentos leves e intensos.

Agora, se você estiver sendo estimulada por outra pessoa é interessante experimentar também os lábios e a língua…

Acariciar essa região com a língua fornece umidade e uma troca de temperatura que podem ser excitantes.

Tudo isso vai depender do seu gosto, mas vale tentar para se autoconhecer, viu?

Virilha

A virilha está mais próxima da região genital, por isso, é muuuito sensível para a maioria das pessoas…

As preliminares na virilha, como o toque, uma massagem e um carinho na vulva podem ser a chave de ouro para provocar mais prazer e desejo sexual.

Tirando a nossa mente, todas as zonas erógenas que citamos são regiões da pele e pode levar alguns segundos até que o toque seja interpretado como um sinal de prazer. 

Região anal

A região externa do ânus é uma outra parte do corpo extremamente sensível, mas infelizmente, ainda há um tabu muito grande...

Seja pelo preconceito, o medo de sentir dor ou até mesmo nojo.

O anus é uma zona erógena para todas as pessoas, afinal, a anatomia de todos os corpos possuem a mesma musculatura e terminações nervosas. 

Nossa dica é começar usando um gel massageador, para que você se sinta mais relaxada…

Você só vai se sentir estimulada nessa região se estiver com a mente e o corpo relaxados. 

É importante lembrar que o nosso prazer, além de físico, também é psicológico!

Quais os benefícios de estimular o ponto G e as outras zonas erógenas?

A masturbação é autoconhecimento, autocuidado e de amor-próprio, pois esse ato traz diversos benefícios para a nossa saúde íntima!

Além disso, a masturbação não é somente saudável, mas também é um ato de empoderamento

Desde cedo as meninas são ensinadas o que devem ou não fazer com o próprio corpo, como devem se portar e se reservar. 

Isso resulta em mulheres que não conhecem o próprio corpo e não sabem do que gostam ao praticar uma relação sexual…

Segundo um estudo da Universidade de Chicago, 40% das mulheres não se masturbam frequentemente e 70% delas dizem não atingir o clímax ao transar com seus parceiros.

Por esse motivo, vamos quebrar esse tabu e incentivar a masturbação feminina…

Confira os benefícios dessa prática para a nossa saúde íntima:

  • Alivia as cólicas e dores menstruais;
  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Melhora a qualidade do sono;
  • Aumenta a libido;
  • Aumenta a lubrificação;
  • Alivia o estresse e a tensão;
  • Promove o autoconhecimento.

Sabadou com “S” de Siririca, meu bem!

Chegamos ao fim de mais um conteúdo por aqui no Blog da Fleurity!

Eu espero que você tenha gostado e coloque em prática os ensinamentos de hoje, aproveite para se autoconhecer e desfrutar do prazer.

Caso você ainda não siga a Fleurity Brasil no Instagram, corre para seguir! Sabe por quê?

Lá no Instagram postamos conteúdos todos os dias e também vamos avisar nos stories sempre que um conteúdo for postado aqui!

Beijinhos, até o próximo conteúdo :)