Espermatozóides: mitos e verdades que fazem a diferença na minha vida

Seja por tabu ou por ter acabado de dar os primeiros passos em sua vida adulta, muitas mulheres se deparam com diversas dúvidas sobre o seu próprio corpo. Agora, quando se trata das características do organismo do outro, as incertezas podem ser ainda maiores. 

A produção dos espermatozóides é um processo natural do corpo masculino, que gera inúmeras confusões, algumas perpetuadas por gerações. 

Para acabar com todas as dúvidas, a Fleurity reúne agora tudo o que você precisa saber a respeito, incluindo os mitos e verdades sobre os espermatozóides. Afinal, apesar de fazerem parte do corpo dos homens, eles impactam diretamente na vida das mulheres. Confira agora!

O que são os espermatozóides?

Os espermatozóides, chamados também de gametas masculinos, são as células sexuais produzidas pelo corpo dos homens - parte necessária para a fecundação e reprodução humana. Os gametas são encontrados no sêmen, uma secreção de cor branca amarelada liberada na ejaculação masculina. 

Após sua liberação no canal vaginal - ou bem próximo a ele -, os espermatozóides se movimentam passando pelo útero, até chegar às tubas uterinas, sendo que o gameta mais rápido será aquele que irá fecundar o óvulo ao encontrá-lo.

O espermatozóide em si pode ser entendido por três partes: cabeça, colo e cauda. Na cabeça são encontradas enzimas e o material genético necessário para que aconteça a fecundação, quando o mesmo entra em contato com o óvulo feminino. 

Já na cauda, estão as mitocôndrias, responsáveis pela capacidade do espermatozóide de se locomover na direção do óvulo. O colo é a junção das duas partes. 

De acordo com especialistas, aproximadamente 15% do líquido ejaculado é composto por espermatozóides, enquanto o restante é formado por enzimas, ácido cítrico e demais líquidos. Tecnicamente, o esperma é produzido através da espermatogênese, carregando nele toda a informação genética do homem em questão. 

Em um esperma liberado durante a relação sexual contém milhares de espermatozóides, sendo que um deles se unirá ao óvulo para a fecundação - parte do processo de reprodução humana sexuada.

Mitos e verdade sobre os espermatozoides

Engolir o esperma faz mal

Mito! Um mito comum no imaginário de homens e mulheres, a respeito de possíveis malefícios e/ou benefícios de engolir o esperma durante o sexo oral. 

Já existe comprovação científica de que a prática não faz mal à saúde, a não ser que o homem que ejacula esteja com alguma infecção - que pode ser transmitida para a mulher. 

Importante ter sempre em mente que o próprio sexo oral sem o uso de preservativo oferece riscos caso o homem esteja com alguma doença, incluindo até mesmo consequências sérias como o câncer de garganta e de faringe. 

Lembrando ainda que, apesar de ser um mito que engolir o sêmen faz mal, o ato também não promove nenhum benefício à saúde. 

É possível engravidar engolindo sêmen?

Mito! Para que a fecundação aconteça é necessário que os espermatozóides sejam introduzidos no canal vaginal ou muito perto dele, podendo assim se locomover em direção aos óvulos - ocorrendo a gravidez. 

Mesmo que o esperma contenha milhares de espermatozóides, quando engolido, o material genético vai para o sistema digestivo e não para o reprodutivo. 

É possível alterar o gosto do sêmen?

Verdade! Já foi comprovado cientificamente que a alimentação do homem pode influenciar no gosto do seu esperma, principalmente considerando um consumo em excesso de determinado alimento, pouco tempo antes do sexo. 

Entre os alimentos que podem modificar levemente o gosto do sêmen estão: frutas cítricas, como o abacaxi, alho, frituras, além de comidas apimentadas e/ou amargas. 

É possível pegar doenças sexualmente transmissíveis através do sêmen?

Verdade! Além dos riscos de uma relação sexual sem o uso do preservativo, mesmo no sexo oral, se o homem que ejacular for portador do vírus do HIV, gonorreia ou clamídia, o parceiro ou parceira pode ser contaminado através do contato do esperma com a boca.

O consumo de álcool, cigarro e outras drogas alteram o esperma?

Verdade! O consumo excessivo de bebidas alcoólicas, cigarros e outras drogas impactam diretamente na quantidade de esperma produzida pelo homem, o que reduz sua fertilidade. 

É importante lembrar que os hábitos e estilo de vida prejudiciais à saúde também a fertilidade feminina, a medida em que desregular a ovulação da mulher.

É possível ficar grávida antes mesmo da menarca?

Verdade! É possível se levarmos em consideração que o período fértil feminino acontece sempre antes da menstruação ocorrer. 

Isso quer dizer então que a adolescente pode ainda não ter tido a menarca - como é chamada tecnicamente a primeira menstruação feminina -, mas estar exatamente no período fértil anterior à ela e, com isso, engravidar caso tenha uma relação sexual sem prevenção.

É possível engravidar mesmo sendo virgem?

Verdade! Geralmente a gravidez se dá quando o esperma é ejaculado no canal vaginal durante a relação sexual. No entanto, mesmo sem que aconteça a penetração e que, teoricamente, a mulher se mantenha virgem, ela pode engravidar caso o homem ejacule muito perto da vagina durante o período fértil feminino. 

Ficou mais claro agora sobre como os espermatozóides podem influenciar diretamente na sua vida?

A informação é capaz de trazer ainda mais prazer para as relações à medida em que gera o autoconhecimento, segurança e empoderamento para a mulher que conta com o conhecimento. Ao mesmo tempo, entender o corpo e suas características evita problemas sociais complexos - que muitas vezes acontecem por desconhecimento.

Caso queira se aprofundar nesses assuntos, no blog da Fleurity é possível encontrar conteúdos completos sobre temas como a gravidez na adolescência e/ou doenças sexualmente transmissíveis, por exemplo. Acesse e confira!

Carrinho de compras

Não há mais produtos disponíveis para compra

Seu carrinho está vazio.

✔️ Produto adicionado com sucesso.