Desafio das mulheres dentro do esporte: tudo que você precisa saber

Olá meninas, meu nome é Nayara Lunière, sou atleta profissional há 17 anos, formada em Ciências Biológicas e Educação Física, venho em parceria com a Fleurity Brasil falar um pouco sobre os desafios enfrentados por nós no mundo do esporte, sobre a desigualdade de gênero, os benefícios da prática esportiva para o corpo feminino e sobre autonomia. Vem comigo!

Durante anos, as mulheres vêm conquistando espaço em diversas áreas de atuação na sociedade e dentro do esporte não é diferente. O machismo é estrutural e está enraizado na cultura popular, ou seja, existe tratamento desigual entre gêneros. 

Foto: Tirada no GP extreme Brasília, em 2019

Junto a essas questões, vemos a sexualização do corpo feminino, a desvalorização de atletas mulheres e a falta de investimento nas modalidades femininas, em comparação com as masculinas. Nosso maior desafio, atualmente, é combater o preconceito e garantir nossos direitos.

Um dos argumentos mais comuns de se ouvir, é que essas desigualdades existem porque há menos procura dos espectadores pelas categorias femininas. Mas, será mesmo que as categorias femininas são menos procuradas pelos espectadores ou não há divulgação? 

As mulheres começaram a praticar esportes profissionalmente há pouquíssimo tempo. É válido lembrar que elas tiveram que lutar pelo direito de participar de competições. No Brasil, por exemplo, um decreto que vigorou de 1941 a 1979 proibia mulheres à prática esportiva: “inadequados a sua natureza”, e a ditadura militar chegou a listar as modalidades proibidas, que incluíam de futebol e rúgbi às artes marciais.

Nos jogos olímpicos, a participação feminina começou em 1900 (as olimpíadas modernas iniciaram em Abril de 1896) no tênis e golfe. Em 1904, elas participaram em apenas um esporte: tiro com arco. No futebol e no boxe as mulheres só passaram a competir a partir de 1996 e 2012, respectivamente. 

Então, o que podemos fazer para modificar esse cenário? É importante aumentar o número de competições, especialmente nas categorias de base, e incentivar, desde cedo, mulheres a serem atletas. 

Com mais garotas competindo, haverá, naturalmente, aumento na visibilidade, com isso, mais patrocínios e investimento, assim, quebrar o ciclo vicioso que se estabelece graças a um sistema opressor, que se manifesta nas mais diversas formas, desde a exclusão em competições até a baixa remuneração e sexualização dos corpos femininos.

O empoderamento por meio do esporte

Foto: Ensaio Atleta, em 2016

O esporte, além de ser uma forma de expressão e atuação das mulheres na sociedade, é uma excelente ferramenta para desenvolver certas virtudes como: disciplina, autoconfiança, resiliência e cuidar da saúde do corpo. Os benefícios vão desde a redução do risco de morte até a diminuição dos sintomas da depressão à elevação da auto-estima.

Como treinar quando estou menstruada?

Agora, chegamos em um assunto polêmico! Ok, vou treinar, me convenceu! Mas, o que usar ou deixar de usar, durante os treinos "naqueles dias". Toda mulher que pratica esportes, uma hora passa por isso: como treinar quando está menstruada? Eu, particularmente, acho isso muito pessoal. 

O ideal é você se conhecer e entender como seu organismo funciona e se sente mais confortável. Como tudo isso é muito individual, vou relatar um pouquinho da minha experiência e conhecimentos adquiridos com todos esses anos vivenciando e estudando o esporte.

É nítido que ficamos mais indispostas, mas, defendo que não devemos parar de treinar “naqueles dias”, pelo contrário, devemos continuar com a rotina normal, levando em consideração que talvez as expectativas de resultados devam ser menores, não é um período para ficar se exigindo grandes feitos. 

O corpo está com baixa de hormônios, perdendo sangue e isso tem que ser levado em consideração! Então, treine com inteligência! Utilizei por muito tempo o O.B (absorventes íntimos) que me permitiam fazer quase tudo. Depois, descobrir os coletores e são eles que me acompanham até hoje. 

Gostou do conteúdo? Então vamos por em prática! Se tivermos mais mulheres esportistas, teremos mais espectadores e, consequentemente, mais investimento no esporte feminino e nas mulheres de uma maneira geral. 

Treine, pratique esportes e acompanhe o que os atletas da sua modalidade estão fazendo. Assim uma fortalece a outra e nós cuidamos ao mesmo tempo! 

Por fim, antes de você ir, te convidamos a acessar o blog da Fleurity e ler vários conteúdos escritos com muito carinho para pessoas que menstruam ficarem informadas. 

Até o próximo artigo! ❤️

 Nayara Lunière

Nome: Nayara Lunière

Profissão/Formação: Triatleta Profissional/ Educadora Física e Bióloga.

Currículo: Apaixonada pelo esporte e sua capacidade de transformação pessoal, atleta há mais de 17 anos, tenho como propósito engajar cada vez mais mulheres à prática desportiva, com o objetivo de não só melhorar o nível competitivo, como trazer mais qualidade de vida, empoderamento e auto-estima para essas mulheres.

Onde posso ser encontrada? 

Instagram: @nayaraluniere

Linkedin: @nayaraluniere

Facebook: Nayara Lunière 

Twitter: @nayluniere

Carrinho de compras

Não há mais produtos disponíveis para compra

Seu carrinho está vazio.

✔️ Produto adicionado com sucesso.