O que é compulsão alimentar e como diferenciar da fome?

Você sabe o que é compulsão alimentar? É provável que você já tenha ouvido o termo em algum comentário relacionado a pessoas que comem muito, mas ele não tem nada a ver com a fome.

A compulsividade alimentar é um transtorno psicológico sério e que pode levar a doenças graves. Por isso, no blog de hoje vamos entender como diferenciar compulsão alimentar e fome e conhecer os principais gatilhos para esse transtorno. Confira!

O que é compulsão alimentar?

A compulsão alimentar é um transtorno psicológico em que a pessoa perde o controle sobre o comportamento alimentar. Nesses casos, ela come exageradamente em um curto espaço de tempo mesmo que esteja sem fome ou já totalmente satisfeita.

Esse transtorno pode ser causado por problemas psicológicos, hormonais ou por dietas muito restritivas. E, ainda mais importante: pode abalar o bem-estar físico e emocional da pessoa e levar a doenças sérias, como bulimia, diabetes e hipertensão.

Para ser considerado como compulsividade alimentar, a compulsão deve acontecer duas ou mais vezes por semana. Mas sempre que você observar que está comendo sem ter fome com muita frequência, é hora de prestar atenção!

O que causa a compulsão alimentar?

Ok, já sabemos o que é compulsão alimentar, mas você sabe o que pode levar uma pessoa a perder o controle sobre a comida?

Confira algumas das principais causas para ficar atenta:

Dietas muito restritivas

Dietas sem a orientação de um especialista nunca são uma boa opção, principalmente quando você decide cortar de uma vez só qualquer tipo de alimento da sua vida. Acredite: isso é um gatilho e tanto para obter o efeito contrário e despertar a compulsão alimentar.

Então, nada de eliminar o carboidrato, o chocolate ou o açúcar sem orientação nutricional. Eles não precisam ser os inimigos da sua dieta se você fizer um acompanhamento com um nutricionista especializado.

💡 Veja também: Sabia que a sua alimentação pode influenciar no seu período menstrual?

Gatilhos emocionais

Quem nunca comeu uma panela de brigadeiro depois do término de um relacionamento que atire a primeira pedra. Acontece, a gente sabe! O problema é quando a comida se torna o suporte fundamental para lidar com a situação.

Não tem problema fazer isso uma vez ou outra, mas agora que você já sabe o que é compulsão alimentar, precisa saber que descontar a frustração na alimentação pode causar esse transtorno e piorar ainda mais coisas.

E não é só quando estamos tristes que recorrer à comida pode ser um problema. A compulsividade alimentar também pode acontecer quando se passa a comemorar qualquer notícia positiva comendo mais do que o normal.

Como saber se tenho compulsão por comida? Principais sintomas

Não é difícil identificar a compulsão alimentar. As pessoas que sofrem com esse transtorno emitem vários sinais, principalmente na hora da refeição:

  • Comer repetidamente mesmo sem fome;
  • Comer muito rápido e sem mastigar direito;
  • Ingerir uma grande quantidade de alimentos em pouco tempo;
  • Não conseguir parar de comer, mesmo depois de já satisfeita;
  • Comer sozinha ou escondida das pessoas;
  • Comer alimentos estranhos, como arroz cru ou manteiga pura.

Além disso, existem grandes chances de que a pessoa desenvolva outros problemas psicológicos, como ansiedade, depressão ou bulimia. Por isso, é importante ficar atenta a mudanças de comportamento, como desânimo e isolamento social.

Afinal, qual o limite entre compulsão alimentar e fome?

Todo mundo tem um momento em que exagera muito na comida, seja porque é o seu prato favorito ou por estar em uma festa em família, por exemplo. Isso não quer dizer que você tenha compulsividade alimentar, mas é preciso estar atenta para não se tornar um hábito.

Depois de entender melhor o que é compulsão alimentar, é mais fácil conseguir diferenciar. A fome é quando o corpo dá sinais que precisamos nos alimentar. Nesse caso, podemos sentir a barriga roncar, ter dor de cabeça e até mesmo baixar a pressão.

Já a fome emocional ou a compulsão alimentar estão mais relacionadas a fatores psicológicos do que físicos. Trata-se da dependência da comida e do desejo de comer para suprir questões emocionais.

A melhor maneira de entender o limite entre a compulsão e a fome é conhecer o seu corpo para saber quando um sinal é de fome de verdade e em quais momentos é apenas o desejo de comer.

Quais são os riscos da compulsão alimentar?

Tão importante quanto saber o que é compulsão alimentar é compreender os riscos relacionados a esse transtorno. 

Isso porque, geralmente, pessoas com compulsividade alimentar têm maiores chances de desenvolver doenças como:

  • Hipertensão;
  • Colesterol alto;
  • Diabetes tipo 2;
  • Obesidade;
  • Problemas vasculares;
  • Gastrite;
  • Bulimia;
  • Anorexia;
  • Depressão;
  • Transtorno obsessivo compulsivo.

Como tratar compulsividade alimentar?

O tratamento para compulsão alimentar é multidisciplinar e deve envolver acompanhamento médico, psicológico e nutricional. Em muitos casos, pode ser necessário também usar medicações específicas para reduzir o efeito da compulsão.

O primeiro passo para lidar com o transtorno é procurar o apoio de um psicólogo e a orientação de um nutricionista. O psicólogo poderá te ajudar a entender os gatilhos que causaram a compulsão, já o nutricionista poderá trabalhar uma reeducação alimentar.

Quanto antes o tratamento for iniciado, mais fácil será minimizar os efeitos da compulsão e melhorar a qualidade de vida, o bem-estar e a relação da pessoa com a alimentação.

Existe remédio para compulsão alimentar?

Sim, existe remédio para tratar a compulsão alimentar. Esse é um tratamento complementar ao acompanhamento psicológico e nutricional e deve ser feito sob recomendação médica especializada.

No geral, os remédios utilizados são antidepressivos, controladores do apetite e controladores do sistema nervoso. Eles são recomendados para regular a função hormonal e diminuir os sintomas da compulsão gerados por ansiedade, estresse ou depressão.

Como prevenir a compulsão alimentar?

Aprendemos o que é compulsão alimentar, sintomas e como tratar. Mas, ainda mais importante, é conhecer os bons hábitos que podem prevenir esse transtorno e garantir uma vida mais saudável.

Por isso, fique atenta a essas dicas:

  • Tenha um horário fixo para as principais refeições;
  • Sempre coma de 3 em 3 horas;
  • Mastigue devagar;
  • Tenha uma dieta equilibrada;
  • Respeite quando seu corpo estiver satisfeito.

Com esses hábitos simples, vai ser muito mais fácil não chegar com tanta fome para a próxima refeição e conseguir comer a quantidade necessária que o seu corpo precisa para se manter em funcionamento. Nem mais, nem menos.

Agora que você já sabe o que é compulsão alimentar, lembre-se: nenhum alimento é seu inimigo, é possível emagrecer de maneira saudável e nenhum alimento pode te ajudar tanto quanto um psicólogo a lidar com questões emocionais.

Dito isso, vale lembrar que não está proibido comer aquele brigadeiro desde que com moderação! Antes de ir preparar o seu, corra no blog da Fleurity para conferir outros conteúdos tão legais quanto esse. Até lá! ❤️

Carrinho de compras

Não há mais produtos disponíveis para compra

Seu carrinho está vazio.

✔️ Produto adicionado com sucesso.