O que é Síndrome da Vagina Infinita? Saiba o que significa esse termo e a anatomia da vagina

Já recebemos mensagens de muitas mulheres que ainda não usaram o coletor menstrual por medo de perdê-lo na vagina…

Esse medo tem nome, é o que chamamos de síndrome da vagina infinita.

Mas, eu posso te dar uma boa notícia?

A regra é clara: se entrou, vai sair!

Se você nunca ouviu falar sobre esse termo, chegou a hora de aprender sobre ele...

Além de saber mais sobre a anatomia da vagina para entender porque não é possível perder nada dentro dela.

Sendo assim, no conteúdo de hoje, vamos falar mais sobre a síndrome da vagina infinita e a anatomia da vagina!

Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura amiga!

O que é Síndrome da vagina infinita?

E se o coletor se perder dentro do corpo?

Será que não tem perigo de eu não achar mais o coletor menstrual?

E se o coletor subir e eu não conseguir mais tirar ele?

Você já ouviu algum comentário desse tipo ou isso já passou pela sua cabeça? 

Se sim, você sabia que isso se chama síndrome da vagina infinita?

O termo “síndrome da vagina infinita” é caracterizado pelo medo de perder objetos dentro do canal vaginal.

E, se você tem esse medo, pode ficar tranquila

Felizmente, não tem como perder algo dentro da vagina, dessa forma, você pode ter certeza que se entrou, vai sair, ok?

Afinal, não há nenhum tipo de “portal” dentro da vagina que faça as coisas desaparecem ou transitarem dentro do nosso corpo.

A vagina tem o fundo fechado, como se fosse um copo…

A abertura seria a entrada da vagina e o fundo do copo seria a sua parte final…

O final da vagina se encaixa ao colo do útero, que, daí sim, tem uma abertura…

Mas a abertura do colo do útero é muuuito pequena, tão pequena que não é possível entrar um objeto, por menor que seja ele.

Sendo assim, se o motivo pelo qual você ainda não usa o coletor menstrual ou disco menstrual é o medo de ficar preso dentro da vagina…

Não tem mais por que alimentar esse medo, né?

Se joga nesse conteúdo que separamos para você tirar todas as suas dúvidas e conhecer tuuudo sobre o coletor menstrual!

Veja em: Tudo o que você precisa saber sobre coletor menstrual Fleurity

A anatomia da vagina

A genitália feminina consiste em órgãos que estão dentro e fora do corpo.

Confira abaixo quais são os órgãos que compõe a vagina:

Vagina

A vagina é um tubo que liga a vulva ao colo do útero e ao útero.

Ela é um canal muscular que começa no colo do útero e vai até a parte externa do corpo — ou seja, na vulva.

Além disso, a vagina geralmente é bem elástica e se expande quando estamos excitadas.

A maioria de nós chamamos de vagina para se referir a tudo que está entre as pernas, ou até mesmo, damos apelidos carinhosos…

Mas, o que chamamos vagina – ou de algum apelido – é na verdade somente uma das partes do órgão sexual feminino!

A parte externa do órgão é chamada de vulva, que é composta pelos lábios internos e externos, além do clitóris e a abertura para a vagina…

A vagina é a parte interna do órgão, juntamente com o útero, ovários e trompas.

Quando nos agachamos sem roupa e pegamos um espelho para observar, o que vemos no reflexo é a vulva!

Parede vaginal

A parede vaginal é feita de músculo coberto por uma membrana mucosa, semelhante ao tecido da boca

A parede contém camadas de tecido com muitas fibras elásticas e a sua superfície também contém “rugas”…

Que, na verdade, são pregas de tecido extra que permitem que a vagina se expanda durante o sexo ou o parto.

Os tecidos da parede vaginal sofrem alterações hormonais durante o ciclo menstrual

As células da camada externa do tecido armazenam o glicogênio…

O glicogênio serve de alimento para as bactérias que ajudam a manter um nível adequado do pH

Ou seja, ele ajuda a proteger a vagina contra bactérias e fungos que são potencialmente nocivos.

Colo do útero 

O colo do útero divide a vagina e o útero, localizado bem entre os dois.

Ele é uma parte importante do útero, sendo caracterizado por ser a parte mais baixa desse órgão. 

O colo do útero é muito importante para o processo de fecundação

Uma vez que, as secreções cervicais são fundamentais para garantir o processo de penetração do esperma no útero.

No período de ovulação, o muco cervical tende a ser mais fluido, o que facilita o deslocamento do espermatozoide.
Geralmente, você pode sentir o colo do útero no final da vagina se inserir os dedos, um pênis ou um brinquedo sexual na vagina. 

É importante esclarecer que o colo do útero separa a vagina do resto do seu corpo

Sendo assim, brinquedos sexuais, coletor menstrual e outros objetos não podem se “perder” dentro de você.

Útero

O útero é um órgão fibromuscular, de parede espessa e oco, que está localizado na parte anterior da cavidade pélvica.

Esse órgão é fundamental para a reprodução, uma vez que sua principal função é servir de local para o desenvolvimento do bebê.

O útero tem um formato semelhante ao de uma pêra…

Em sua condição normal, ele apresenta cerca de 7,5 cm de comprimento e 5 cm de largura...

No entanto, é importante lembrar que essas dimensões são modificadas durante a gravidez.

Além disso, o útero tem conexão direta com as tubas uterinas, que penetram no órgão pela região superior.

Trompas de Falópio

As trompas de Falópio são 2 tubos estreitos que carregam os óvulos dos ovários para o útero.

Assim, o esperma viaja através deles para tentar fertilizar seu óvulo.

Fímbrias

As tubas uterinas possuem uma conexão direta com o útero e uma proximidade dos ovários.

Elas são formadas por 2 canais com cerca de 10 cm de comprimento…

Sendo mais estreita na parte próxima ao útero e se dilatando à medida que se aproxima dos ovários…

Ou seja, como se tivesse o formato de um funil.

As fímbrias são conhecidas como os cílios das tubas uterinas.

As fímbrias auxiliam na captação do óvulo liberado pelo ovário, levando-o de encontro com os espermatozóides para a fecundação.

Ovários

Os ovários são responsáveis pela produção e armazenamento dos óvulos

Que são liberados um a cada mês e recolhidos pelas tubas uterinas, enquanto durar a vida reprodutiva da mulher.

Ou seja, eles deixam de liberar os óvulos com a chegada da menopausa.

Além disso, eles também são responsáveis pela produção dos hormônios sexuais femininos, que é a progesterona e estrogênio.

O formato dos ovários se assemelha a uma amêndoa, medindo em geral 3 cm de comprimento, 1,5 cm de largura e 1 cm de espessura. 

Eles estão localizados nas proximidades de parede pélvica lateral em cada lado do útero.

Nos ovários são distinguidas duas regiões, que é o córtex e a medula.

Hímen

O hímen é uma pequena membrana protetora localizada na entrada do canal vaginal.

Ele possui uma pequena abertura que permite a saída da menstruação e das secreções vaginais.

Muitas pessoas acreditam que o hímen cobre totalmente a abertura da vagina até que ele seja rompido, mas geralmente não é esse o caso. 

Como muitas pessoas já sabem, o hímen geralmente é rompido no primeiro contato sexual. 

No entanto, a virgindade não está ligada ao hímen, pois existem outras situações que podem causar o rompimento do hímen

Inclusive, você sabia que existem casos em que a mulher nasce sem a pequena membrana protetora?

Por isso, é importante saber que existe mais de um tipo de hímen e cada mulher possui um tipo diferente.

Confira abaixo quais são os tipos de hímen:

Hímen anular

Esse é o tipo mais comum de hímen, e é chamado assim porque lembra o formato de um anel

Isso porque ele possui uma abertura no meio da membrana, por onde passam a menstruação e as secreções vaginais.

Geralmente, o hímen anular tende a esticar aos poucos durante a primeira relação sexual, até se romper por completo. 

Após o rompimento, o sangramento pode acontecer, porém, não é obrigatório.

Hímen septado

O hímen septado – também conhecido como hímen biperfurado possui apenas um orifício, porém, conta com uma pele que o divide em dois furinhos.

Alguns tipos de himens são mais resistentes que outros, e neste caso, o hímen septado é um deles…

Por conta disso, ele não é rompido facilmente, podendo causar desconforto nas primeiras relações sexuais. 

Hímen cribiforme

Ao contrário dos outros que citamos acima, esse tipo de hímen possui diversos pequenos furos, como se fosse uma peneira…

Devido ao seu formato, ele facilita a passagem da menstruação e das secreções vaginais – como o muco cervical e os corrimentos.

O hímen cribiforme possui a membrana mais resistente e, por esse motivo, pode levar mais tempo para ser rompida naturalmente

Além disso, ele tende a gerar incômodo e sangramento durante o sexo

Em casos mais raros, pode ser necessário romper o hímen cribiforme através de procedimentos cirúrgicos.

Hímen complacente

Você sabia que é possível o hímen esticar e voltar ao seu estado normal após a penetração?

Esse é o caso do hímen complacente!

Esse tipo de hímen é mais grosso e elástico e, por essa razão, pode não se romper durante a primeira relação sexual.

O formato do hímen complacente é bem parecido com o do hímen anular ou seja, com um orifício central. 

Devido a sua flexibilidade, pode acontecer do hímen complacente nunca se romper completamente

Inclusive, existem alguns casos em que esse tipo de hímen só se rompe durante o parto natural. 

Incrível demais, não é mesmo?

Hímen imperfurado

Apesar de alguns tipos de hímens também serem resistentes, nenhum deles é mais resistente que o imperfurado.

Ele é o mais raro da lista e costuma ser identificado muito antes do início da vida sexual, sabe por quê?

Porque a membrana cobre totalmente a abertura da vagina.

Ou seja, o hímen imperfurado é o único de hímen que é completamente fechado não possui nenhum furinho na membrana.

Sendo assim, o diagnóstico costuma ser feito com a chegada da primeira menstruação

Pois o fluxo menstrual fica retido no organismo e acaba causando sintomas, como dores abdominais e outras complicações. 

Nesses casos, o rompimento deste tipo de hímen deve ser feito através de uma cirurgia, que consiste em um pequeno corte na membrana para remover o tecido em excesso.

Bom, chegamos ao fim de mais um conteúdo recheado de curiosidades e informações aqui no Blog da Fleurity!

Esperamos que você tenha gostado e todas as suas dúvidas tenham sido esclarecidas.

Caso você ainda não siga a Fleurity Brasil no Instagram, corre para seguir! Sabe por quê?

Lá no Instagram postamos conteúdos todos os dias no feed e nos stories, abordando assuntos como saúde feminina, menstruação, sustentabilidade e muuuito mais.

Logo retornaremos com mais artigos cheios de informações educativas e relevantes para você. Até breve!

Carrinho de compras

Não há mais produtos disponíveis para compra

Seu carrinho está vazio.

✔️ Produto adicionado com sucesso.