Você está correndo risco com absorventes internos: conheça formas alternativas de se cuidar

Você está correndo risco com absorventes internos: conheça formas alternativas de se cuidar

Você utiliza (ou já utilizou) absorvente interno descartável, o famigerado O.B.? Por muito tempo, ele foi a única opção oferecida em farmácias e mercados para quem sentia-se desconfortável com um absorvente externo. 

Entretanto, você sabia que pode estar colocando sua saúde em risco ao utilizá-lo? Calma, a Fleurity esclarece para você.

 

Síndrome do Choque Tóxico (SCT)

Apesar de ser considerada uma doença rara, a maioria dos casos de SCT está relacionada ao uso do absorvente interno utilizado por mais de oito horas. Em outras palavras, ao acúmulo excessivo de sangue coletado pelo material.

Em síntese, a doença é definida “por um conjunto de sintomas causado pelas toxinas de bactérias Gram-positivas, em especial a Staphylococcus aureus”, conforme esclarece o oncologista e cientista, Drauzio Varella.  

Essas toxinas resultam em diversas reações que, inclusive, podem terminar em insuficiência renal aguda e, até mesmo, morte. 


Ressecamento e descamação

Mesmo se você for uma usuária assídua do absorvente interno, é inevitável ignorar o fato de que ao utilizá-lo, principalmente em um tamanho maior que o de praxe, você fica suscetível a sentir-se desconfortável. Isso ocorre porque a parte interna do canal vaginal fica ressecada. 

Há também o risco de descamação da parede vaginal, ou seja, um corrimento vaginal acima do normal. Portanto, se você sentir “mau cheiro, coceira ou ardor ao urinar, e notar que a secreção está contínua, procure um médico”, aconselha o ginecologista Paulo César Giraldo à revista Abril.  

Qual a diferença entre muco cervical e corrimento vaginal?

 

Alteração do pH vaginal

Devido ao absorvente interno ficar dentro da vagina, o material pode absorver, não somente o fluxo menstrual, como a s mucosas, fator que pode alterar o pH da região. E caso você não lembre das aulas de ciências, essa alteração pode baixar a imunidade da pessoa e, por consequência, favorecer infecções. 


Inadequado para fluxo intenso

Talvez esse não seja um risco à sua saúde, mas a verdade é que o absorvente interno não foi pensado para quem possui fluxo intenso. Ao utilizá-lo, você pode sentir-se inadequada e insegura, uma vez que a chance de vazamentos é maior do que qualquer outra opção.

Além disso, o tampão retém a menstruação dentro da vagina, correto? E como o seu fluxo é intenso, esse fator favorece uma maior proliferação de bactérias. 

Contraindicado para longos períodos
Conforme mencionado acima, o absorvente interno torna-se um grande risco à sua saúde quando utilizado por mais de oito horas. Inclusive, o correto é trocá-lo no intervalo de duas a quatro horas, dependendo da intensidade do fluxo.

Assim sendo, para o bem da sua saúde íntima e, por consequência, para a sua saúde, você precisa descartá-lo na hora de dormir.

Produção excessiva de lixo orgânico

A longo prazo, a produção excessiva de lixo orgânico pela utilização, tanto do absorvente interno, quanto do absorvente externo, torna-se um problema de saúde pública. Logo, um problema que também é de sua responsabilidade. 

Atualmente, existem outras formas de manter-se protegida e confortável durante o período menstrual que não afetam o meio-ambiente. Em outras palavras, são reutilizáveis. E você verá algumas alternativas abaixo: 

E aí, quais são as alternativas? 

Calcinha menstrual

Ao contrário do absorvente interno, a calcinha menstrual, também conhecida como calcinha absorvente, é perfeita para quem possui fluxo intenso e não gosta de utilizar absorvente externo. 

A parte que fica em contato com a vulva possui dupla camada absorvente, devidamente certificadas e recomendadas por ginecologistas. Já o resto da calcinha menstrual é de malha modal antimicrobiana, respirável e impermeável evitando, assim, possíveis vazamentos.

Além disso, para homens trans, a calcinha absorvente pode ser uma boa alternativa para não precisar utilizar nenhum tipo de absorvente descartável, tampouco os reutilizáveis que mencionaremos abaixo. Até porque sua modelagem é larga e confortável. 

Coletor menstrual

Ah, o coletor menstrual (suspiro profundo). Quem já usou, ama. Quem nunca usou, não sabe o que está perdendo, uma vez que é a alternativa mais popular entre as três e veio para salvar as mulheres durante o ciclo menstrual

Além de ser extremamente higiênico, em comparação ao absorvente externo e interno descartável, por conta do sangue não ficar em contato com a vulva, é confortável e seguro. 

Para quem não conhece, o coletor é um copo de silicone, hipoalergênico e muito flexível para se adaptar ao seu canal vaginal. Com ele, você poderá ficar protegida por, até, 12 horas, sem precisar trocá-lo

Por fim, com ele é possível realizar todos os tipos de atividades sem preocupações, assim como, ir à praia, piscina, praticar esportes, usar roupas claras e, até mesmo, dormir sem calcinha. UM SONHO, VAI DIZER?

Nunca utilizou? Confira 10 curiosidades sobre o coletor menstrual

Disco menstrual

Semelhante aos coletores menstruais, o disco menstrual é um acessório para ser usado durante a menstruação, feito de silicone medicinal hipoalergênico.

Em relação ao seu funcionamento, ele pode ser compreendido como barreira para o sangue da menstruação, evitando que faça sujeira e manche as roupas.

Com seu formato oval e discreto se encaixa no canal vaginal, próximo ao útero e não necessita de vácuo para o posicionamento correto.  

 

Curtiu? Então, conheça 5 benefícios do coletor menstrual