Corrimento na gravidez: saiba identificar e como tratar

Corrimento na gravidez: saiba identificar e como tratar

É muito comum que a mulher comece a sentir algumas mudanças em seu corpo, principalmente com o avançar da gravidez. 

Surgem os enjoos e as alterações no humor, os seios ficam maiores e mais doloridos, a barriga começa a crescer e o cansaço excessivo chega…

E, no meio de tantas mudanças, é comum que a mulher também perceba um aumento do corrimento vaginal. 

No entanto, você sabia que um dos primeiros sinais de gravidez é o aumento da produção do corrimento vaginal?

E, conforme a gravidez avança, essa secreção geralmente se torna mais perceptível e mais intensa até o final da gravidez. 

Além do corrimento vaginal, há também o sangramento de nidação, que ocorre em 25% das gestações, sendo um dos primeiros sinais de uma gravidez.

Mas, afinal, como saber se o corrimento não apresenta riscos para a gestante e o bebe?

Veja bem, o corrimento vaginal considerado normal durante a gravidez costuma ter o cheiro suave, uma consistência pastosa e sua coloração é branca.

Mas, como sabemos, existem outros tipos de corrimentos que não são considerados saudáveis…

Pensando nisso, no conteúdo de hoje, vamos falar sobre os tipos de corrimento na gravidez e o que eles podem representar para a saúde.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura, amiga!

Ter corrimento na gravidez é normal?

O corrimento não costuma mudar muito sua coloração, odor e consistência durante a gravidez.

Sendo assim, o corrimento é muito parecido aquele que ocorre na mulher que não está grávida. 

Porém, o volume da secreção costuma aumentar durante a gestação, principalmente entre o 2º e o 3º trimestre…

Isso acontece devido às mudanças que ocorrem na gravidez!

Como a elevação do fluxo sanguíneo na região vaginal e as alterações hormonais, especialmente dos níveis de estrogênio.

Então, quando há mudanças no aspecto do corrimento, como na sua coloração, no seu odor e na consistência natural, é preciso estar atenta.

Porque essas mudanças podem indicar a presença de infecções ou doenças ginecológicas

Com isso, também é comum aparecer coceira, ardência, irritação e vermelhidão na vagina, além de dores e cólicas abdominais.

Nesses casos, a secreção deixa de ser fisiológica e passa a ser patológica, gerando riscos para a saúde da gestante e do bebê. 

Por isso, é indispensável que a mulher saiba como é o corrimento na gravidez, os tipos de corrimento e o que cada um representa.

O que causa alterações no corrimento vaginal?

O corrimento vaginal diminui e flui ao longo do ciclo menstrual da mulher devido às alterações nos níveis hormonais…

Durante a gravidez não é diferente!

Quando há uma gravidez, os hormônios continuam a desempenhar um papel nas mudanças no seu corrimento vaginal.

Além disso, as alterações no colo do útero durante a gravidez também afetam o corrimento vaginal…

À medida que o colo do útero e a parede vaginal amolecem, o corpo produz secreção em excesso para ajudar a prevenir infecções

Aliás, você sabe porque no final da gestação há um aumento na produção do corrimento vaginal?

Isso pode acontecer porque a cabeça do bebê pode pressionar o colo do útero no final da gravidez, o que leva ao aumento do corrimento vaginal.

Corrimento branco pastoso

Normalmente o corrimento branco na gravidez é considerado saudável. 

O corrimento branco com a consistência pastosa, semelhante a uma pomadinha, é um sinal de que tudo está bem…

Porém, esse muco não deve apresentar cheiro e deve ser em quantidade moderada sem maiores sintomas. 

O problema é quando esse muco passa a se tornar abundante e espesso demais, pois esses sinais representam que algo não vai bem.

Por esse e outros motivos, a gestante deve fazer um acompanhamento pré-natal, pois se houver alguma alteração, o médico pode indicar um tratamento adequado.

Corrimento esbranquiçado

O corrimento vaginal esbranquiçado, semelhante ao queijo cottage, pode indicar infecções causadas por fungos.

Durante a gravidez, as infecções causadas por fungos se tornam mais comuns, pois o corpo se torna mais suscetível a elas.

Um exemplo é a candidíase, que causa além do corrimento branco, provoca coceira, vermelhidão, inchaço na região genital e queimação ao fazer xixi. 

Corrimento amarelo ou esverdeado 

O corrimento esverdeado ou amarelo, com cheiro forte – semelhante à peixe – não é considerado saudável

Principalmente, se esse tipo de corrimento está acompanhado com a sensação de queimação ao fazer xixi e dor durante a relação sexual

Esses sintomas podem indicar uma infecção sexualmente transmissível (IST), como a tricomoníase. 

A tricomoníase pode surgir na gravidez caso aconteça uma relação íntima sem preservativo

Essa IST pode aumentar o risco de parto prematuro ou baixo peso à nascença e, por isso, deve ser tratada o mais rápido possível.

Além disso, o corrimento amarelo parecido com pus, pode indicar a presença de Clamídia, uma doença sexualmente transmissível que costuma não apresentar sintomas.

De acordo com Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC), as DSTs podem causar complicações durante a gravidez que podem afetar a mulher e a criança. 

Sendo assim, quando houver qualquer sintoma incomum, principalmente durante a gravidez, é essencial consultar um médico.

Corrimento acinzentado

O corrimento cinza na gravidez pode indicar uma infecção vaginal chamada vaginose bacteriana.

A vaginose bacteriana é uma das infecções mais frequentes na gravidez e a sua principal causa são as alterações hormonais.

Os sintomas característicos da vaginose incluem corrimento acinzentado e com cheiro forte, semelhante a peixe

Além da sensação de queimação para fazer xixi, vermelhidão e coceira na região genital.

Na maioria dos casos, a infecção não causa nenhum sintoma e, por isso, muitas mulheres acabam descobrindo durante o exame de rotina.

Embora não apresente riscos ao desenvolvimento do bebê, a infecção pode aumentar o risco de ter um parto prematuro ou do bebê nascer com baixo peso.

Sendo assim, é essencial que o diagnóstico seja realizado pelo ginecologista ou obstetra, porque esses sintomas são semelhantes a candidíase, e podem ser confundidos.

Corrimento marrom 

É muito comum que o corrimento marrom apareça no início da gravidez, quando o início da menstruação deveria ocorrer. 

Sendo assim, o corrimento marrom na gravidez geralmente aparece nos primeiros três meses do período gestacional.

A secreção geralmente é marrom devido ao sangue antigo que sai do corpo, o que pode ser um sintoma precoce da gravidez.

A expulsão desse corrimento acontece devido aos pequenos sangramentos de descolamentos mínimos durante a implantação do embrião na parede uterina.

Como resultado, o corpo libera o sangue retido para limpar o endométrio…

Como consequência, há a expulsão do sangue, sendo exatamente esse que causa o corrimento marrom na gravidez.

No entanto, se o corrimento marrom aparecer após o 2º trimestre de gravidez, é preciso procurar um especialista para fazer os exames necessários.

Corrimento rosa 

O corrimento rosado na gravidez pode ou não ser normal, tudo depende do momento em que ele ocorre

A secreção rosada pode acontecer no início da gestação, sinalizando que o processo de nidação ocorreu com sucesso.

A nidação, também chamada de implantação, corresponde à fixação do óvulo fecundado na parede do útero

Nesse processo de fixação do zigoto, pode ocorrer um leve sangramento, com duração média de 1 a 3 dias. 

Esse sangramento ocorre porque ao se fixar ao endométrio, esse zigoto faz com que haja uma descamação

Essa descamação ocorre nas pequenas partes da camada endometrial e são expelidas pelo organismo. 

O sangramento de nidação geralmente ocorre entre 7 e 14 dias após a concepção. 

No entanto, o corrimento rosado também pode ser sinal de aborto espontâneo, que é muito comum nas primeiras 10 semanas de gestação.

Geralmente, os sintomas surgem repentinamente, apresentando febre, cólica abdominal forte, dor de cabeça e corrimento rosado…

Em alguns casos, o corrimento rosado pode evoluir para um sangramento mais forte ou perda de coágulos.

Corrimento vermelho

Perdas ligeiras de sangue de cor rosa, vermelho ou meio acastanhado podem ser normais.

Esses tipos de corrimentos podem acontecer devido às alterações que ocorrem no corpo da mulher durante a gravidez.

Entretanto, também podem indicar situações preocupantes, como um aborto espontâneo ou uma gravidez ectópica…

Especialmente se o sangramento for intenso, com a cor vermelho vivo, contiver coágulos ou ocorrer junto com cólicas abdominais.

Assim, algumas situações que podem levar ao sangramento durante a gravidez são: 

  • Sangramento de escape ou spotting;
  • Gravidez ectópica;
  • Descolamento ovular;
  • Descolamento da placenta;
  • Placenta prévia;
  • Aborto espontâneo;
  • Infecção uterina.

Aproximadamente 10 a 15% das gestações terminam em aborto espontâneo, que as pessoas também chamam de perda gestacional.

Outras causas de corrimento vermelho podem ser menos graves, especialmente durante o primeiro trimestre, quando pode resultar de implantação ou infecção. 

Estudos indicam que entre 7 a 24% das mulheres podem ter algum sangramento no início da gravidez.

No entanto, quando o sangramento ocorre mais tarde na gravidez, pode indicar problemas que exigem atenção médica imediata.

Bom, chegamos ao fim de mais um conteúdo recheado de curiosidades e informações aqui no Blog da Fleurity!

Esperamos que você tenha gostado e todas as suas dúvidas tenham sido esclarecidas.

Caso você ainda não siga a Fleurity Brasil no Instagram, corre para seguir! Sabe por quê? 

Lá no Instagram postamos conteúdos todos os dias no feed e nos stories, abordando assuntos como saúde feminina, menstruação, sustentabilidade e muuuito mais.

Eu te espero no próximo conteúdo, beijinhos!