Usar absorvente pode causar infecção urinária (veja as principais causas aqui também!)

Usar absorvente pode causar infecção urinária (veja as principais causas aqui também!)

A infecção de urina é uma doença causada por bactérias que podem afetar as partes do sistema urinário, sendo elas: rins, bexiga e uretra.

Normalmente, ela é mais comum na bexiga e na uretra.

Além disso, você sabia que as mulheres possuem mais chances de serem atingidas?

Segundo estudos da American College of Clinical Pharmacy, até 60% das mulheres terão pelo menos uma infecção urinária durante toda a vida.

O estudo conta que as mulheres são mais afetadas devido à anatomia feminina. Sabia?

Vamos te explicar certinho: a uretra feminina – canal por onde sai a urina – é mais próxima do ânus, o que facilita a transmissão de bactérias de um lugar para o outro...

Porém, além desse motivo, há ações que podem aumentar a chance de desenvolver uma infecção urinária recorrente e mais grave.

Neste artigo você irá descobrir as principais causas que contribuem para a infecção urinária e como evitar essa doença que compromete 80% da saúde íntima das mulheres. 

Quer saber como cuidar da sua vagina sem prejudicá-la? 

Continue a leitura que eu vou te contar!

Tipos de infecção urinária

Os sintomas de infecção urinária variam de uma pessoa para a outra e conforme o local do sistema urinário afetado, que pode ser a uretra, a bexiga ou os rins.

Geralmente, a infecção urinária é causada por bactérias do intestino que chegam ao sistema urinário…

Por esse motivo, a doença é mais frequente nas mulheres devido a proximidade do ânus com a uretra. 

Conheça os tipos de infecção urinária e os seus sintomas mais comuns:

Uretrite: infecção na uretra

A uretrite surge quando as bactérias infectam somente a uretra.

Conheça quais são os principais sintomas da uretrite:

  • Vontade frequente de urinar;
  • Dificuldade para urinar;
  • Dor e/ou ardência para urinar;
  • Corrimento amarelado.

Pielonefrite: infecção nos rins

É mais comum que a infecção urinária ocorra somente na uretra e/ou na bexiga.

Porém, quando a infecção urinária não é tratada rapidamente, as bactérias podem chegar até os rins e causar uma infecção mais grave.

Conheça quais são os principais sintomas da pielonefrite:

  • Febre acima de 38° C;
  • Existência de pus ou sangue ao urinar;
  • Vontade frequente de urinar;
  • Dor e/ou ardência ao urinar;
  • Dor forte na barriga, costas ou virilhas.

Cistite: infecção na bexiga

Esse é o tipo mais comum da infecção urinária e acontece quando as bactérias conseguem passar pela uretra e chegar até a bexiga.

Conheça quais são os principais sintomas da cistite:

  • Vontade frequente para urinar;
  • Urina em pouca quantidade;
  • Sensação de queimação ao urinar;
  • Urina com cor intensa, meio alaranjada;
  • Urina com cheiro intenso;
  • Febre até 38° C.

Em todos os casos, é importante procurar um urologista ou clínico geral para começar o tratamento rapidamente e evitar quadros mais graves.

Além disso, é importante ingerir muita água para evitar que a urina fique com cor e cheiro desagradáveis.

Conheça as principais causas da infecção urinária

Existem diversas causas que facilitam a infecção urinária nas mulheres. 

E o autoconhecimento é o nosso melhor amigo para essas horas. Sabe por quê?

Porque quando você conhece de onde se desenvolve e quais são as causas de uma infecção urinária, você consegue se cuidar para evitar esta doença! 

Então, continue a leitura para descobrir o que causa infecção urinária...

Má higiene

Você sabia que a má higiene permite que as secreções produzidas se acumulem em volta da nossa vulva

Sim, isso acontece – mas não pode acontecer de jeito nenhuuum!

A higiene incorreta da região íntima acaba criando um ambiente que favorece o crescimento de bactérias...

No intestino há diversas bactérias que participam do nosso processo de digestão e saem nas fezes, isso pode ser muito perigoso...

Afinal, a higienização incorreta pode levar essas bactérias até a nossa ppk, facilitando o desenvolvimento da infecção urinária…

Por esse motivo, os médicos ginecologistas recomendam passar o papel higiênico de trás para frente…

Fazendo dessa forma, você estará evitando de trazer as bactérias que estejam na região do bumbum para a sua vulva!

Você também pode optar por lavar a região com água corrente para garantir que a limpeza da sua vulva seja mais eficiente.

Aliás, você sabia que não é necessário e muito menos indicado fazer a limpeza da vulva com duchas vaginais?

Bom, eu vou te explicar isso certinho…

No nosso canal vaginal, está presente o muco cervical…

O muco cervical contém anticorpos que protegem e impedem que as bactérias localizadas na vulva consigam chegar até o útero…

Sendo assim, quando o muco cervical é expelido, ele passa por todo canal vaginal levando as bactérias “para fora” junto com ele. Entendeu?

Dessa maneira, a parte íntima consegue criar uma espécie de barreira protetora para infecções, como a infecção urinária, por exemplo.

Devido a essa característica de autolimpeza, os médicos não recomendam que se faça duchas vaginais.

Afinal, as duchas vaginais acabam removendo essa defesa natural, além de desequilibrar o pH e contribuir para as infecções ginecológicas, como a candidíase, por exemplo.

Por isso, lave a sua vulva com água corrente, pois não há necessidade de lavar a ppk lá dentro. Ok? :)

Quer saber mais sobre o muco cervical e as suas curiosidades?

Confira clicando aqui: 6 curiosidades inusitadas sobre o muco cervical e que você não sabia!

Segurar o xixi

O xixi limpa o nosso organismo, além disso, a cor do xixi nos ajuda a saber se estamos nos hidratando direitinho…

E o mais importante disso tudo…

O xixi é responsável por eliminar as toxinas e  bactérias que podem estar chegando até a bexiga

Maravilhoso, né?

Ou seja, segurar o xixi impede que esse processo de limpeza e eliminação de bactérias aconteça…

Isso facilita o desenvolvimento de microrganismos e a evolução da infecção de urina.

Além disso, quando seguramos o xixi, a nossa bexiga fica dilatada e ao urinar ela não consegue eliminar toda a urina presente nela. 

Preste muita atenção, porque isso também favorece o desenvolvimento de bactérias e da infecção urinária.

É importante sempre ir ao banheiro quando a vontade aparecer, não espere ficar apertada para eliminar o xixi. Tá bom?

Beber pouca água

Do mesmo modo que segurar o xixi favorece o aumento de microrganismos na uretra e bexiga…

Beber pouca água durante o dia também pode ter o mesmo efeito. Sabe por quê?

Como já te contamos aqui, o xixi é responsável por passar pelo nosso trato urinário e levar as bactérias presentes na bexiga. Certo?

Sendo assim, ao beber pouca água durante o dia, o corpo deixa de produzir urina suficiente para que você vá ao banheiro...

Essa ação facilita que as bactérias que deveriam ser eliminadas pela urina continuem subindo até a bexiga, ocasionando a infecção urinária.

Por esse motivo, é recomendado beber pelo menos 2 litros de água no dia, para que você produza a urina e consiga eliminá-la durante o dia.

Relação sexual

A relação sexual causa infecção urinária? 

Vamos descobrir!

Você já deve ter ouvido falar que após uma relação sexual é importante correr para o banheiro e fazer xixi, não é mesmo? 

E, essa prática é realmente muito importante!

Afinal, durante o sexo, o organismo entra em contato com diversas bactérias...

Principalmente, se essa relação acontece sem que você e o seu parceiro – ou, sua parceira – não tomem um banho antes…

Isso porque durante a relação sexual a abertura da nossa uretra fica mais exposta…

Essa exposição contribui para que as bactérias subam da uretra até a bexiga e desenvolvam uma infecção urinária. 

Por esse motivo, para evitar uma infecção de urina é indicado seeempre urinar após o sexo e lavar a vulva com água corrente!

Outra dúvida muito importante em ser esclarecida é:

A infecção urinária passa na relação sexual? 

A resposta é: nãooo!

Mas, apesar disso, os especialistas dizem que não pode fazer sexo com infecção urinária, pois pode causar desconforto!

Candidíase

Existem alguns fungos presentes na flora vaginal que são totalmente naturais, como é o caso do fungo Cândida.

Esse fungo vive normalmente no organismo sem causar danos, mas, em situações de desequilíbrio, pode ocorrer a proliferação...

A candidíase surge devido a proliferação do fungo Cândida, provocando sintomas desagradáveis, como:

  • Coceira na vagina;
  • Corrimento esbranquiçado;
  • Inchaço e vermelhidão na região genital;
  • Dor e/ou queimação ao urinar;
  • Dor e desconforto durante o contato íntimo.

Além do acúmulo de secreções na nossa vulva – que cria um ambiente propício para bactérias – a candidíase quando não tratada pode provocar a infecção urinária.

Isso acontece porque a mulher tem a tendência a segurar a urina devido a ardência e o desconforto causado pela candidíase.

Sendo assim, um problema pode levar ao outro...

Por esse motivo, é importante procurar um especialista para começar o tratamento adequado para a candidíase e evitar a infecção de urina.

Quer saber mais sobre a candidíase e outras doenças ginecológicas? 

Veja aqui neste conteúdo: Conheça as 5 principais doenças ginecológicas

Uso de absorventes

Os absorventes internos e externos, assim como os protetores de calcinha, ainda são muito utilizados durante o período menstrual...

Isso pode ser um grande problema para a nossa saúde íntima...

Durante a menstruação, o nosso corpo elimina diversos resíduos que podem servir para o desenvolvimento de bactérias.

Quando a mulher fica com o absorvente sujo, esses microrganismos podem se reproduzir ali e chegar até a uretra, provocando a infecção urinária.

Além disso, o algodão é um dos componentes dos absorventes descartáveis…

Quando acontece desse absorvente rasgar, o algodão que está absorvendo o sangue menstrual tem contato com a nossa uretra e o canal vaginal.

Então, os absorventes descartáveis prejudicam a higiene vaginal e  são ruins para a saúde do nosso planeta também!

Além disso, muitas mulheres tendem a ter alergia aos materiais utilizados na fabricação dos absorventes tradicionais. 

Por esse motivo, o coletor menstrual é a opção mais saudável para a nossa saúde íntima!

O coletor menstrual não causa alergias pois ele é feito de silicone medicinal hipoalergênico, ideal para ficar em contato direto com a sua mucosa vaginal.

É o mesmo material utilizado na confecção de chupetas e mamadeiras infantis e também em materiais cirúrgicos!

Quer saber mais sobre o coletor menstrual?

Veja aqui: Tudo o que você precisa saber sobre o Coletor Menstrual

Oba! Finalizamos mais um conteúdo maravilhoso por aqui.

Massss, eu ainda tenho uma dica muito importante para você…

Caso você ainda não siga a Fleurity Brasil no Instagram, corre para seguir! Sabe por quê?

Lá no Instagram postamos conteúdos todos os dias e também vamos avisar nos stories sempre que um conteúdo for postado aqui!

Beijinhos, até o próximo conteúdo :)