8 cuidados que toda ppk merece em 2022

8 cuidados que toda ppk merece em 2022

A saúde íntima feminina ainda é um assunto pouco abordado entre as mulheres devido a vergonha, tabus e preconceitos...

E, por causa de todo esse tabu que a cerca, muitas não se sentem confortáveis para conversar sobre o assunto nem com os próprios médicos!

Estamos falando que cerca de 4 milhões das mulheres brasileiras nunca procuraram atendimento com um profissional da área...

Além disso, pelo menos 5,6 milhões das mulheres não costumam ir ao ginecologista…

E outras 16,2 milhões não passam por nenhuma consulta há mais de um ano.

Infelizmente, esses dados são de uma pesquisa feita em 2019 pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

Com esses dados, podemos concluir que muitas mulheres ainda não sabem a importância de cuidar da saúde íntima

Consequentemente, acabam praticando hábitos que são prejudiciais para a região íntima.

O autoconhecimento é fundamental para saber como higienizar a vulva adequadamente no dia a dia e durante a menstruação

Como também, saber identificar as mudanças que possam indicar algum tipo de infecção, doenças ginecológicas ou algo mais grave. 

Com o propósito de quebrar tabus e ensinar cada vez mais, no conteúdo de hoje vamos abordar tudo sobre a saúde íntima feminina

E te contar quais hábitos são saudáveis para cuidar corretamente dessa região que é tão sensível.

Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura amiga!

Saiba como cuidar da higiene íntima feminina corretamente

“O certo é usar sabonete íntimo ou neutro?”

“É verdade que só pode lavar a região íntima com água?"

“E duchas vaginas, tá liberado ou não?”

Além dessas, existem muitas dúvidas que podem causar confusão e acabar prejudicando a saúde íntima…

Muitas mulheres ainda têm dúvidas em relação à melhor maneira de higienizar certas partes da vagina

Afinal, a limpeza incorreta da região genital pode desequilibrar o pH vaginal e afetar os mecanismos de defesa naturais da região íntima feminina.

Por esse motivo, é muito importante saber como cuidar da região genital, e principalmente, como lavar a região sem prejudicá-la...

1. A higiene íntima é feita somente na parte externa

Você sabia que o órgão genital feminino é composto pela vulva e a vagina?

A maioria de nós chamamos de vagina para se referir a tudo que está entre as pernas, ou até mesmo, damos apelidos carinhosos... 

Mas, o que chamamos vagina – ou de algum apelido – é na verdade somente uma das partes do órgão sexual feminino!

A parte externa do órgão é chamada de vulva, que é composta pelos lábios internos e externos, além do clitóris, monte de vênus e a abertura para a vagina...

A vagina é a parte interna do órgão, juntamente com o útero, ovários e trompas.

Quando nos agachamos sem roupa e pegamos um espelho para observar, o que vemos no reflexo é a vulva!

Sendo assim, quando falamos em higiene íntima feminina, é importante ressaltar que a limpeza deve ser feita apenas na vulva

E, essa limpeza deve ser feita somente com sabonete neutro, suave e sem perfume – nunca com duchas vaginais!

Para lavar a região da vulva e tudo o que é composto por ela é bem simples…

Basta aplicar um pouco de sabonete nos dedos e se certificar de remover todo resíduo de secreção vaginal…

Ao sair do banho, seque a região íntima e só vista a calcinha quando estiver totalmente seca

Afinal, áreas úmidas e abafadas são ambientes propícios para a proliferação de fungos e bactérias. Ok?

2. Evite duchas vaginais

Será que a ducha para higiene íntima feminina é necessária?

Evite duchas vaginais ou qualquer outro produto de higiene vaginal perfumado a todo custo!

Ao contrário do que muitas mulheres pensam, as duchas vaginais são vilãs para a nossa saúde íntima.

Isso porque as duchas vaginais removem a defesa natural da nossa ppk

Além de desequilibrar o pH e contribuir para as infecções ginecológicas.

Além disso, os produtos para higiene íntima feminina perfumados podem alterar o pH da vagina

Ou seja, embora você se sinta limpa, a longo prazo é mais provável que haja reações desagradáveis…

Como alergias, irritações e até mesmo infecções vaginais.

3. A vagina é autolimpante

A nossa vagina é autolimpante, e por esse motivo, a limpeza é feita somente na região externa – ou seja, na vulva!

Caso você ainda não saiba, o muco cervical é o responsável por essa limpeza…

O muco cervical contém anticorpos que protegem o útero, com a intenção de mantê-lo saudável e livre de bactérias…

Sendo assim, uma das funções dele é impedir que as bactérias localizadas na área vaginal consigam chegar até o útero!

Isso quer dizer que, quando o muco cervical é expelido, ele passa por todo canal vaginal levando as bactérias “para fora” junto com ele.

Maravilhoso, né?

Dessa maneira, a parte íntima consegue criar uma espécie de barreira protetora para infecções, como a candidíase, por exemplo.

Devido a essa característica de autolimpeza, não há necessidade de duchas vaginais e produtos de higiene que não seja o sabonete neutro.

4. Depois de ir ao banheiro

A coisa mais importante para ter em mente ao se limpar é que você deseja limpar o ânus e a vagina separadamente.

Ou seja, limpe uma área e descarte o papel usado, e em seguida, limpe a outra área com outro papel.

Isso porque no intestino há diversas bactérias que participam do nosso processo de digestão e saem nas fezes…

E a higienização incorreta pode levar essas bactérias até a vulva e facilitar o desenvolvimento de infecções ginecológicas.

E se você limpar cada área separadamente, não haverá problema.

Você também pode optar por lavar a região com água corrente para garantir que a limpeza da sua vulva seja mais eficiente.

5. Cuidados durante a menstruação

A higiene íntima na menstruação deve manter os mesmos cuidados que tem ao longo do mês…

Porém, com um pouco mais de atenção, viu? 

Isso porque, se você usa absorvente descartável, é muito comum que fiquem resíduos de menstruação na vulva.

Além disso, o absorvente acaba abafando a região genital e impedindo que haja ventilação na mesma... 

Dessa forma, a proliferação de fungos e bactérias fica ainda mais fácil devido ao aumento da umidade e da temperatura da vagina.

Então, fique atenta às "dobrinhas" dos grandes e pequenos lábios…

Nessa região pode ficar os resíduos de sangue menstrual que podem provocar odores vaginais.

É importante lembrar que passar muito tempo com o mesmo absorvente pode provocar diversos malefícios à saúde íntima…

Por esse e outros motivos, estamos sempre indicando o coletor menstrual!

Os absorventes descartáveis além de serem prejudiciais a nossa saúde íntima…

Contribuem na produção de lixo e prejudicam a saúde do nosso planeta também!

Além disso, muitas mulheres tendem a ter alergia aos materiais utilizados na fabricação dos absorventes tradicionais. 

Em razão disso, o coletor menstrual é a opção mais saudável para a nossa saúde íntima e para o meio ambiente!

Ao inserir o coletor menstrual, ele fica encaixadinho no seu canal vaginal coletando todo o sangue…

Com isso, o sangue menstrual não têm contato direto com a região da vulva e não fica nenhum resíduo que possa prejudicar a sua saúde íntima! 

O coletor menstrual Fleurity não causa alergias pois ele é feito de silicone medicinal hipoalergênico…

Ideal para ficar em contato direto com a sua mucosa vaginal.

Quer saber mais sobre o coletor menstrual?

Veja aqui: 5 motivos para comprar o seu Coletor Menstrual

6. Alimentação saudável

Pode parecer estranho, mas a nossa alimentação pode influenciar a saúde da nossa vagina!

“Nosso corpo inteiro precisa de uma ampla gama de nutrientes para funcionar de maneira ideal…

Então, o que comemos e bebemos afeta nossa vulva e vagina da mesma forma que o que comemos e bebemos afeta todas as partes de nosso corpo.

Explica a médica Felice Gersh e autora do livro PCOS SOS: A Gynecologist 's Lifeline to Naturally Restore Your Rhythm, Hormones and Happiness. 

Para manter a saúde vulvar e vaginal ideal, ela recomenda uma dieta rica em:

  • Antioxidantes;
  • Vitamina E;
  • Vitamina C;
  • Ácidos gordurosos de ômega-3;
  • Ácidos graxos ômega-6;
  • Proteína;
  • Probióticos.

7. Evitar o uso de roupas apertadas e úmidas

O ideal é evitar o uso de roupas muito justas, como legging, meia calça e principalmente calças e shorts jeans.

Inclusive, é muito importante evitar permanecer com biquínis ou maiôs úmidos por muito tempo.

O indicado é que as suas calcinhas sejam com o tecido de algodão, pois esse tecido é leve e permite que a ppk respire…

Aliás, não esqueça de dormir sem calcinha, viu?

8. Hidrate a vagina com óleo de coco

O óleo de coco e suas propriedades hidratantes trazem muitos benefícios para a região vaginal...

Isso porque o pH ácido do óleo de coco é ideal para a saúde da nossa vagina

Além de hidratar e nutrir a região sem causar irritações ou alergias.

Por ser um hidratante natural, você pode usá-lo diariamente após tomar banho…

Passando-o delicadamente entre os pequenos e grandes lábios.

Mas fique atenta ao comprar o seu óleo de coco, é importante usar o extra virgem, 100% natural e puro.

Quer saber mais sobre os benefícios do óleo de coco para vagina?

Veja aqui: Saiba os benefícios do óleo de coco para a vagina e como usá-lo

Chegamos ao fim de mais um conteúdo recheado de curiosidades e informações aqui no Blog da Fleurity!

Esperamos que você tenha gostado e todas as suas dúvidas tenham sido esclarecidas.

Caso você ainda não siga a Fleurity Brasil no Instagram, corre para seguir! Sabe por quê?

Lá no Instagram postamos conteúdos todos os dias no feed e nos stories, abordando assuntos como saúde feminina, menstruação, sustentabilidade e muuuito mais.

Te espero no próximo conteúdo, beijinhos!