Fisgadas nas mamas: o que pode ser?

Pode ser que você não saiba qual o significado da palavra mastalgia, mas já tenha sentido fisgadas nas mamas em algum momento da vida. Nestes momentos, a dúvida que fica é sempre se a dor é normal ou se é necessário procurar uma análise médica. 

É bastante provável que mulheres passem por isso ao menos uma vez, já que a estimativa de especialistas é que 70% das mulheres sejam afetadas pela mastalgia. Ao mesmo tempo, outros dados são tranquilizadores: estima-se que até 85% dos casos a dor mamária não tem gravidade e que apenas 3% das pacientes com mastalgia requerem alguma intervenção.

Já aconteceu com você ou tem tido fisgadas nas mamas atualmente? Então este conteúdo é para você! 

Reunimos aqui tudo o que você precisa saber sobre a mastalgia, o que podem ser as fisgadas na mama e como tratar. Confira agora!

O que é mastalgia? 

A mastalgia, como é tecnicamente chamada as fisgadas nas mamas, é um quadro consideravelmente comum na vida das mulheres e que, de forma geral, não são sintomas de problemas graves de saúde.

De forma técnica, as fisgadas na mama ainda podem ser classificadas de três maneiras que diferenciam os quadros:

  • Cíclica: as fisgadas cíclicas são aquelas que acontecem de tempos em tempos, geralmente relacionadas com as variações hormonais do ciclo menstrual feminino. Algumas mulheres sentem os desconfortos nas mamas nos dias que antecedem a menstruação. É mais frequente em mulheres mais jovens, que ainda estão no auge do período fértil.
  • Não-cíclica: já as fisgadas não-cíclicas costumam ocorrer de forma pontual e estarem mais ligadas a traumas e processos inflamatórios. Em grande parte desses casos, os incômodos são sentidos na parte superior da mama e podem ocorrer apenas em um dos seios.
  • Extramamária ou mastalgia de causas não mamárias: nesses casos, as fisgadas não têm como origem as mamas, mas sim na musculatura ou órgãos na região toráxica - que acabam por afetar também os seios. Nessa situação, remédios anti-inflamatórios e relaxantes musculares podem resolver o incômodo.

O que pode ser as fisgadas na mama? 

Como uma estrutura complexa como a mama feminina, também é natural que sejam vários os diagnósticos possíveis quando se trata de um desconforto sentido no local. 

Para entender a origem das fisgadas na mama, é importante relatar ao médico a frequência em que elas acontecem - caso sejam cíclicas -, e/ou se existe algum outro sintoma relacionado. Em alguns casos a anamnese costuma ser necessária para identificar as causas das fisgadas e traçar o melhor tratamento, para outras pacientes pode ser indicado a realização de exames complementares.

As principais causas de mastalgia são:

  • Flutuações hormonais;
  • Puberdade;
  • Amamentação;
  • Menopausa;
  • Cistos mamários;
  • Inflamações;
  • Traumas ou ferimentos;
  • Gravidez.

Em alguns casos, os incômodos nas mamas podem ainda estar relacionados com alguns hábitos específicos femininos, como o uso prolongado de sutiãs ou quando a peça está muito apertada para o tamanho dos seios.  

Com o número acentuado de pacientes que são acometidas anualmente com o câncer de mama - o mais comum entre as mulheres adultas - é natural relacionar qualquer dor ou desconforto na mama ao diagnóstico. Porém, é fundamental registrar que, de forma geral, o câncer mamário não apresenta quadro de dor. 

Os sintomas de câncer de mama incluem nódulos nos seios, retrações da pele, da aréola ou do mamilo, além de alterações na pele.

De toda forma, a orientação é sempre buscar um médico ginecologista - principalmente em casos de fisgadas recorrentes nas mamas. O profissional poderá analisar cada caso e dar um diagnóstico conclusivo. 

Como tratar a mastalgia?

Como foi possível perceber, não só um, mas vários quadros podem desencadear as fisgadas nas mamas. Sendo assim, é fundamental entender a origem do incômodo para traçar o melhor tratamento médico para tal. 

No caso, por exemplo, em que as fisgadas estão relacionadas ao ciclo menstrual de uma paciente que utiliza um anticoncepcional hormonal, o ginecologista pode indicar a troca do método para avaliar possíveis efeitos positivos da mudança. 

Em outras circunstâncias, o médico pode fazer o encaminhamento da mulher a um mastologista - ou outra especialidade necessária para o diagnóstico, no caso de fisgadas extramamárias. 

Quando procurar o médico? 

É fundamental procurar o médico de sua confiança quando as fisgadas nas mamas ficarem mais intensas com o passar dos dias e/ou quando o desconforto durar mais de 10 dias consecutivos. 

Também é importante procurar a análise de um especialista quando as fisgadas acontecerem junto com outros sintomas como: secreção no mamilo, vermelhidão na mama, febre, identificação de  caroço no seio durante o autoexame.

Depois de entender melhor sobre as possíveis origens das fisgadas nas mamas, se quer saber mais sobre cuidados e problemas que podem afetar a saúde da mulher como um todo, no blog da Fleurity você encontra diversos conteúdos completos, com temas que vão desde casos de dismenorréia até sintomas de vulvodínia e clamídia

Afinal, o autoconhecimento é o melhor caminho para garantir uma vida muito mais saudável e prazerosa!

Carrinho de compras

Não há mais produtos disponíveis para compra

Seu carrinho está vazio.

✔️ Produto adicionado com sucesso.