Por que a pílula do dia seguinte desregula a menstruação? Veja tudo o que você precisa saber

Por que a pílula do dia seguinte desregula a menstruação? Veja tudo o que você precisa saber

A pílula do dia seguinte é um método de controle de natalidade para ser usado apenas em situações de emergência

Sendo assim, ela não é indicada de maneira alguma para ser usada regularmente!

Esse método possui uma dosagem alta de hormônios, que se ingeridos corretamente impedem a ovulação…

E, desta forma, impedem a gravidez.

Já foi descoberto que ela também altera a consistência do muco, dificultando a passagem dos espermatozoides.

No conteúdo de hoje, vamos falar tudo sobre a pílula do dia seguinte, como usá-la, quais os efeitos colaterais, como ela age no corpo e muuuito mais.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura amiga!

O que é a pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte é um tipo de contracepção de emergência que pode ser usada após uma relação sexual desprotegida…

Ou, quando acontece do método contraceptivo habitual falhar. 

Sendo assim, a pílula do dia seguinte é tomada logo após o sexo para reduzir o risco de gravidez.

Geralmente é eficaz, mas nem sempre…

Isso porque depende do momento em que a sua ovulação ocorreu e quanto tempo você demorou para tomar o medicamento…

Afinal, quanto mais cedo for tomado após o sexo desprotegido, mais eficaz será.

É importante frisar que a contracepção de emergência, como o próprio nome diz, deve ser usada apenas em situações de emergência. 

De forma alguma a pílula do dia seguinte pode ser usada com frequência como substituta dos métodos tradicionais…

Pois é menos eficaz e não há estudos sobre a sua segurança nessa forma de uso.

Como tomar a pílula do dia seguinte

É recomendado que a pílula do dia seguinte seja tomada até 72 horas após a relação sexual desprotegida

Pois assim, o seu efeito é muito mais garantido…

Ou seja, as chances de prevenir o desenvolvimento da gravidez.

Se você vomitar após tomar a pílula do dia seguinte, procure um médico para avaliar o caso e saber se precisa tomar o medicamento novamente.

Lembre-se de que o maior risco é a pílula do dia seguinte falhar.

E, caso esteja sendo feito o uso de pílulas anticoncepcionais, não é necessário interromper o uso.

E se você tomar após 72 horas?

Você sabia que o nome da pílula é meio enganoso?

Isso porque a pílula do “dia seguinte” pode ser tomada até 5 dias após o sexo, dependendo do tipo da pílula.

Embora os fabricantes recomendem tomar a pílula do dia seguinte dentro de 3 dias após o sexo desprotegido…

Você pode tomá-la até 5 dias após a relação sexual.

Porém, a pílula do dia seguinte é “moderadamente eficaz” quando tomada entre 72 e 120 horas após o sexo.

Sendo assim, a eficácia do medicamento diminui quanto mais tempo você demorar para tomar.

Efeitos colaterais da pílula do dia seguinte

Apesar dos efeitos colaterais, a pílula do dia seguinte é segura.

E, embora contenha uma dose de hormônio mais alta do que as pílulas anticoncepcionais, o hormônio não permanece no corpo por muito tempo.

Claro, você pode sentir efeitos colaterais leves, como:

  • Dores de cabeça;
  • Dor abdominal ou cólicas;
  • Náusea ou vômito;
  • Tontura;
  • Cansaço;
  • Sangramento de escape fora do período menstrual.

Além disso, o seu ciclo menstrual também pode se desregular no primeiro mês de uso.

Isso significa que a menstruação pode vir mais cedo ou mais tarde, além de alterar a intensidade do fluxo, podendo ser mais pesado ou mais leve.

Portanto, se sua menstruação estiver significativamente atrasada, faça um teste de gravidez.

É importante lembrar que se você tiver outra relação sexual desprotegida, é possível engravidar logo após tomar a pílula do dia seguinte…

Sendo assim, busque usar preservativos e analisar junto com o seu médico qual o melhor método anticoncepcional para você…

Afinal, além dos efeitos desagradáveis, a pílula do dia seguinte perde sua eficácia ao ser usada frequentemente

Assim como qualquer outro medicamento, não há nada que você possa fazer para prevenir esses efeitos colaterais…

Porém, você pode usar medicamentos para aliviar sintomas como dores de cabeças, náuseas e cólicas.

Quando tomar a pílula do dia seguinte?

Como sabemos, a pílula do dia seguinte é um método emergencial.

Ela age provocando a descamação do endométrio, dificultando a fecundação e a entrada do espermatozoide no útero

Ela não é considerada um método contraceptivo e deve ser usada somente em casos em que há riscos de uma gravidez indesejada.

Sendo assim, você pode tomar a pílula do dia seguinte quando:

  • Relação sexual sem preservativo;
  • Quando ocorre o rompimento do preservativo;
  • Ao esquecer de tomar a pílula anticoncepcional regular;
  • Expulsão do DIU;
  • Deslocamento ou retirada do diafragma vaginal antes do tempo;
  • Casos de violência sexual.

Para que a gravidez possa ser evitada, a pílula do dia seguinte deve ser tomada o mais rápido possível

Após o contato íntimo desprotegido ou falha do método contraceptivo usado regularmente.

A pílula do dia seguinte desregula a menstruação?

Alterações no volume, duração ou data esperada do fluxo menstrual, além de pequenos sangramentos de escape

Esses são alguns dos efeitos da pílula do dia seguinte no seu ciclo menstrual.

Porém, a maioria das mulheres terá seu próximo período menstrual na data esperada ou mais cedo

Com isso, o fluxo menstrual será semelhante ao habitual, porém em alguns casos, o fluxo poderá ser maior ou menor. 

Os padrões de menstruação podem ser irregulares entre as mulheres que fizeram uso da medicação…

No entanto, somente em 5% dos casos há atraso superior a 7 dias.

Em casos de atraso menstrual superior a uma semana, você pode fazer um teste de gravidez para tirar as dúvidas.

É importante saber que a pílula do dia seguinte falha em 25% dos casos em que é usada como único método contraceptivo.

Como a pílula do dia seguinte funciona no corpo da mulher?

A pílula do dia seguinte age de forma diferente em cada organismo, afinal, cada corpo é um corpo, não é mesmo?

No entanto, é comum que ela acabe provocando alguns efeitos colaterais. 

Aliás, você sabia que existem dois tipos de pílula do dia seguinte, a de dose única ou com dois comprimidos?

No entanto, ambas possuem a mesma quantidade hormonal. 

A pílula do dia seguinte pode agir de duas formas

E isso vai depender do período do ciclo menstrual em que a mulher se encontra!

Pesquisas mostram que as pílulas previnem, ou pelo menos atrasam a ovulação por vários dias

De modo que nenhum óvulo seja liberado para ser fertilizado

Isso quer dizer que, se a mulher ainda não tiver ovulado, a pílula impede a liberação do óvulo…

Ou seja, o espermatozóide não irá encontrar o óvulo e, desta forma, a pílula age impedindo a fecundação. 

Porém, caso a mulher já tenha ovulado, o método vai agir alterando o muco cervical

Caso você ainda não saiba, uma das principais funções do muco cervical é auxiliar a fecundação dos espermatozóides…

Além de ajudar a proteger e impedir que as bactérias consigam chegar até o nosso útero.

Com isso, o contraceptivo emergencial vai atuar no muco cervical, mudando sua textura e acidez…

Isso tudo para impedir que o espermatozoide chegue ao útero e no endométrio, a camada interna que reveste o útero…

Com isso, ela transforma o ambiente em um local desagradavel…

Fazendo com que os espermatozóides acabem morrendo no caminho e não consigam chegar até as trompas.

É importante saber que, caso a fecundação já tenha ocorrido, a pílula do dia seguinte não tem nenhum efeito que impeça o desenvolvimento do embrião…

Por esse motivo, ela não é considerada abortiva, ok?

Pílulas anticoncepcionais causam infertilidade?

A resposta é: nãooo!

Tanto a pílula do dia seguinte, quanto as pílulas anticoncepcionais regulares, não afetam a fertilidade.

Por mais que a função de ambas – principalmente das pílulas anticoncepcionais – seja inibir a ovulação, a infertilidade não ocorre, ok?

No caso do anticoncepcional regular, basta parar de usá-lo para que seja restaurada toda a produção de folículos e óvulos maduros.

Em alguns casos, algumas mulheres demoram para engravidar quando param de ingerir as pílulas anticoncepcionais…

Isso ocorre porque existe um período para o organismo se “livrar” dos hormônios sintéticos e a fertilidade seja retomada de forma completa.

Um estudo publicado na revista Human Reproduction revela que as mulheres que tomaram as pílulas anticoncepcionais por mais de cinco anos, têm mais chances de engravidar em um curto espaço.

Isso acontece porque quanto mais tempo a mulher usar as pílulas, menos ovulações ela terá…

Dessa forma, a sua fertilidade se manterá preservada!

Chegamos ao fim de mais um conteúdo recheado de curiosidades e informações aqui no Blog da Fleurity!

Esperamos que você tenha gostado e todas as suas dúvidas tenham sido esclarecidas.

Caso você ainda não siga a Fleurity Brasil no Instagram, corre para seguir! Sabe por quê?

Lá no Instagram postamos conteúdos todos os dias no feed e nos stories, abordando assuntos como saúde feminina, menstruação, sustentabilidade e muuuito mais.

Gostou do conteúdo de hoje e quer ver mais como esse?
Separamos um conteúdo incrível: Descubra o que desperta o desejo sexual feminino