Revelado: Tudo que nunca te contaram sobre Cólica Menstrual

Revelado: Tudo que nunca te contaram sobre Cólica Menstrual

Primeiramente, antes de começar você precisa responder três perguntas-chave…

Elas dirão a você se você deve ou não continuar lendo este artigo.

Isso porque, talvez o que você encontrará aqui não seja uma informação válida para você – isso se já for especialista quando o assunto é cólica…

Mas, se você não for especialista e está disposta a aprender sobre si mesma, o que você verá aqui é absolutamente tudo – tudo mesmo! – sobre a cólica menstrual.

Coisas que você até pode encontrar na Internet, em outros conteúdos…

Porém, imagine um novelo de lã todo embaraçado. Imagine mesmo!

Por mais que você procure, simplesmente não tem como saber onde está o começo, o meio e o fim dele…

Sua mente fica confusa, você não sabe por onde começar de tão bagunçado que ele está...

É exatamente isso que vemos na Internet quando pesquisamos. Milhões de conteúdos sem começo, meio e fim, informações picadas…

Sendo que a nossa mente sempre está em busca de uma linha lógica e categorias bem organizadas. 

Ver que não é assim quando buscamos o que queremos é realmente frustrante...

Entretanto, aqui o novelo de lã não está embaraçado. Pelo contrário, você já está começando corretamente, na ponta da linha.

Ou seja, aqui você encontrará a informação que você precisa de maneira completa, com começo, meio e fim.

Mas lembre-se: você precisa seguir até o fim, ou de nada valerá o começo.

Eis as três perguntas-chave:

  1. Você sabia que a intensidade da sua cólica tem tudo a ver com o seu fluxo menstrual?
  2. Você sabia que homem também menstrua e tem cólica menstrual?
  3. Você sabia que remédios – os mesmos que você toma para aliviar a cólica – podem piorá-la?

Bom, se você realmente não soube responder essas perguntas, está tudo bem.

O importante é que você está aqui agora, e vai poder entender todas essas três perguntas…

Aliás, entender e aprender tudo sobre a cólica menstrual!

Vamos começar, amiga?

Comece pelo porquê: Esse é o motivo pelo qual você sente cólica menstrual

Vamos explicar para você de uma maneira super fácil de entender: um passo a passo simples e prático, sem muitos termos técnicos.

A cólica menstrual (chamada cientificamente de dismenorreia) começa lá no início, com os ciclos menstruais. 

Falando especificamente, começa por volta de dois anos após a sua primeira menstruação. 

Você lembra da primeira vez que a sentiu?

Durante aquela fase do mês em que você está ovulando e que dura em torno de seis dias – ou melhor dizendo, o período fértil – há a liberação de prostaglandina.

A definição de prostaglandina é: uma substância que promove a contração do útero para a eliminação do sangue menstrual.

Quando isso acontece – a liberação de prostaglandina – pode causar um leve desconforto na região pélvica (abaixo do umbigo) ou no baixo ventre, e até mesmo…

…pode causar dores fortes que chegam a deixar você incapacitada.

Falando sobre intensidade, você sabia que as cólicas costumam ser mais intensas na adolescência?

Muitas mulheres já relataram que isso aconteceu especialmente nos primeiros anos após o início da menstruação

Esse também foi o seu caso?

Isso acontece por um motivo simples: essa é a época em que os ovários amadurecem e passam a liberar um óvulo por mês. 

Sendo assim, o útero ainda é pequeno e o orifício de saída é mais fechado. 

Curiosidade: você sabia que os absorventes comuns, somente no Brasil, estão gerando cerca de 12 mil toneladas de lixo a cada período?

Saiba mais em: Qual a relação entre a menstruação e a produção de lixo?

Só existe um tipo de cólica menstrual?

A resposta é: não!

Recebemos muitas perguntas como essa e é válido falarmos sobre isso aqui também...

Talvez você ainda não saiba, mas há tipos de cólica menstrual sim!

Aliás, uma delas pode ser provocada por algumas doenças. Sabia? Vamos te explicar o porquê.

Há dois tipos de cólica menstrual: a primária, que existe desde a menarca (nome dado à primeira menstruação) juntamente com o início dos ciclos ovulatórios. E também existe a secundária, que surge após um período sem dor.

 A cólica primária é de natureza desconhecida e característica do organismo feminino...

...já a cólica secundária pode ser provocada por doenças como inflamações pélvicas, endometriose e fibromiomas.

Veja os sintomas mais comuns da cólica menstrual!

 Os principais sintomas que acompanham a cólica são:

  • Enjoos;
  • Vômitos;
  • Dor de cabeça;
  • Nervosismo;
  • Diarreia;
  • Cansaço;
  • Vertigens e desmaios.

Nas cólicas secundárias, os sintomas aparecem após algum tempo de uma doença orgânica ou de algum fato específico. 

As causas mais comuns da cólica menstrual secundária são: uso de DIU, endometriose, miomas, doença inflamatória pélvica, alterações nos ovários ou útero, malformações uterinas e hímen não perfurado (que não permite a saída do fluxo menstrual).

Aviso: logo iremos responder aqui mesmo em primeira mão: as 8 dúvidas que quase todas as mulheres têm sobre cólica menstrual!

Segundo as nossas pesquisas, todas as mulheres têm pelo menos duas ou três dúvidas nas quais responderemos aqui…

Então continue a sua leitura para saber as respostas! 

Minha cólica está forte demais. O que fazer?

Se piorar e se tornar persistente, pode ser indício de uma doença mais séria, como:

  • Adenomiose;
  • Endometriose;
  • Varizes pélvicas;
  • Mioma uterino.

  • Veja abaixo o que é cada uma delas...

    Endometriose 

    Caso você não saiba, a endometriose é a causa mais comum para cólica menstrual forte.

    Ela é definida quando células endometriais se desenvolvem fora do útero.

    O endométrio é a parte mais interna do útero que durante o ciclo menstrual sofre modificações para receber o bebê.

    Descubra tudo o que você queria saber e estava com vergonha de perguntar em: Saiba o que é o Ciclo Menstrual.

    Se caso a gestação não ocorrer, o endométrio simplesmente se desprende e sai com a menstruação.

    Os principais sintomas de endometriose são:

    • Cólica menstrual forte;
    • Infertilidade;
    • Dor para evacuar;
    • Diarreia;
    • Dor pélvica crônica;
    • Dor durante as relações sexuais na profundidade;
    • Saída de secreção pelo umbigo ou dor umbilical.

    Adenomiose

    A adenomiose é uma doença semelhante à endometriose.

    Ela acontece quando as células endometriais invadem o músculo do útero (miométrio).

    Os principais sintomas da adenomiose são:

    • Cólica menstrual forte;
    • Sangramento menstrual aumentado;
    • Aumento do volume uterino;
    • Distensão abdominal.

    Mioma uterino

    O mioma uterino é um tumor benigno, constituído por células musculares do útero.

    Os sintomas mais comuns dos miomas são:

    • Aumento do volume uterino;
    • Cólica e sangramento.

    Mas a maior parte dos miomas não determinam nenhum sintoma.

    Os sintomas dos miomas dependem especialmente da sua localização e em segundo lugar de suas dimensões.

    Varizes pélvicas

    As varizes pélvicas acontecem quando as veias uterinas e ou ovarianas ficam dilatadas e com o sentido do sangue invertido.

    Geralmente acontece durante manobras provocativas, como a manobra de Valsalva (força como se fosse fazer cocô).

    Os sintomas mais comuns das varizes pélvicas são: 

    • Dor pélvica crônica;
    • Dor na relação sexual mesmo depois do ato terminado;
    • Sensação de peso na pelve.

    É normal cólica sem menstruação?

    Essa é a pergunta que não quer calar.

    Você já se preocupou quando a sua cólica apareceu antes da menstruação? 

    Apesar de ser algo tão comum, muitas pessoas têm dúvidas sobre…

    E vamos esclarecer tudo isso aqui!

    Em primeiro lugar, você precisa saber que é muito comum sentir cólica antes da menstruação.

    Curiosidade: você sabia que a masturbação durante a menstruação alivia as cólicas menstruais? Veja em: 6 razões para se masturbar durante a menstruação.

    O seu corpo está em um processo natural de contração do útero e eliminação do endométrio. 

    Além disso, as dores de cabeça e inchaço nos seios também são comuns durante a tensão pré-menstrual (TPM) e podem causar bastante desconforto. 

    No entanto, você deve prestar muita atenção!

    Se esses sintomas se apresentarem de maneira intensa a ponto de atrapalhar o andamento das atividades cotidianas é recomendado procurar um médico especialista para avaliar.

    Pois pode ser alguma das principais doenças que já falamos aqui!

    Cólica e menstruação atrasada, o que pode ser?

    A primeira coisa que vem na nossa cabeça quando se fala cólica e menstruação atrasada é: gravidez.

    Se você é uma mulher sexualmente ativa e que não faz uso de métodos contraceptivos, esse atraso menstrual pode sim indicar gravidez.

    Principalmente se ocorreu uma relação sexual sem preservativo!

    Você deve ficar atenta aos sintomas que seu corpo vai apresentar e verificar direitinho se o atraso já passou de 10 dias para fazer um teste de gravidez. Essa é a recomendação correta.

    Os sintomas mais comuns no início da gestação são:

    • Cólica;
    • Atraso menstrual;
    • Mamas mais sensíveis ou inchadas;
    • Cansaço;
    • Náuseas e vômitos;
    • Aumento da salivação;
    • Aparecimento de manchas no rosto (melasma);
    • Escurecimento das aréolas dos seios.

    Para tirar a dúvida, recomendamos que você faça o teste de gravidez para verificar os níveis do hormônio HCG no sangue com o exame laboratorial ou na urina através do teste de farmácia. 

    Este hormônio é altamente produzido no início da gestação e é o principal indicativo de que a mulher está grávida.

    Agora, se a cólica e menstruação atrasada não forem sinais de gravidez…

    Você PRECISA investigar essas outras causas:

    • Dietas muito restritivas;
    • Estresse excessivo;
    • Uso de pílula do dia seguinte;
    • Consumo excessivo de cafeína;
    • Alterações hormonais causadas por problemas de endometriose, tireóide, síndrome de ovários policísticos, miomas e tireóide;
    • Distúrbios alimentares;
    • Atraso da ovulação.

    E olha, sabe de uma coisa muito importante e que você não pode continuar “deixando para depois” caso esteja?

    Sua visita à sua – ou seu – gineco (ginecologista).

    É extremamente importante que você mantenha uma certa frequência nas suas visitas, para saber como você está.

    Nesse caso em específico – se a cólica e menstruação atrasada não forem sinais de gravidez –, sua gineco pode solicitar exames laboratoriais e pesquisar as possíveis alterações hormonais e anatômicas relacionadas ao atraso menstrual.

    Dessa forma, ela poderá encontrar o melhor tratamento para você!

    Curiosidade: você sabia que há um método 100% natural para você aliviar as cólicas menstruais sem precisar tomar remédios?

    Além dos excelentes benefícios desse método, você ajudará o nosso querido meio-ambiente, pois ele é sustentável também!

    Segundo estudos, esse método pode aliviar a sua cólica menstrual em poucos minutos, no conforto da sua casa.

    Fique aqui e descubra qual é este método.

    Veja as respostas definitivas: as 8 dúvidas que quase todas as mulheres têm sobre cólica menstrual!

    Lembra daquelas três perguntas que você leu no início? Elas serão respondidas aqui também!

    Vamos lá?

    Andar descalça causa ou piora a cólica?

    Olha, não existe nenhuma comprovação científica de que andar descalça pode causar cólicas. 

    Porém, a friagem pode piorar sua cólica menstrual. Sabia?

    Isso porque a temperatura fria estreita os vasos sanguíneos e também, dificulta a circulação de sangue no útero.

    Sendo assim, isso pode aumentar a contração do órgão e consequentemente provocar um aumento da cólica. 

    Por isso, nos dias frios com cólica é sempre bom se agasalhar e tomar um chá morno para aquecer o corpo :)

    Sentir cólica é normal?

    Ginecologistas afirmam que a cólica menstrual afeta 80% das pessoas. 

    Mas você deve saber que a dor é subjetiva e depende da sensibilidade de cada um, fica difícil determinar o que é normal ou não, sabe?

    De acordo com especialistas, a cólica precisa de tratamento médico quando interfere na sua rotina. 

    Deixar de sair ou de trabalhar, depender de remédios todo mês ou parar no hospital por causa da dor não é normal.

    Então, por via de regra e como já falamos: marque uma consulta com a sua gineco, caso você passe por isso.

    Estou com tonturas, enjôo e às vezes até desmaio por causa da cólica. O que fazer?

    As cólicas intensas podem ser sinal de outras doenças, como você já viu aqui.

    A endometriose, por exemplo, tem como principal sintoma a cólica menstrual forte. 

    Alguns especialistas afirmaram que a doença é a principal causa da infertilidade entre as mulheres, por um motivo quase óbvio:

    Elas demoram a procurar tratamento, achando que a dor faz parte do ciclo.

    O que fazer? Sua gineco te responderá corretamente e te guiará ao tratamento correto.

    Falamos tanto para você ir até a sua gineco porque, se você nos acompanha há um tempo, sabe que queremos o seu bem! 

    É normal cólica menstrual na adolescência?

    Infelizmente não há como prevenir as doenças ginecológicas que levam ao aumento das cólicas.

    Mas é importante o diagnóstico precoce para o controle dos sintomas, bem como para indicar tratamento cirúrgico quando necessário. 

    Dores que impeçam as atividades habituais devem ser reportadas ao médico ginecologista. 

    A consulta regular, pelo menos anual, é importante para todas as mulheres.

    Mas saiba que conviver com dores não é normal!

    A intensidade da cólica tem a ver com o fluxo menstrual?

    A relação do fluxo menstrual com a cólica se deve ao fato de que, quanto mais sangue a ser expelido, mais contração o seu útero precisa fazer e assim, maior o nível de prostaglandina. Entendeu?

    Mas, isso não é uma regra. Nem sempre quem tem fluxo intenso vai sofrer com fortes dores de cólica menstrual, e vice-versa. 

    Com o tempo, você começa a entender os sintomas que o seu corpo dá sobre o seu ciclo menstrual. 

    Ou seja, há pessoas que sabem que quando começa a sentir cólicas vai menstruar no dia seguinte!

    Esse é o seu caso?

    Homem também menstrua e tem cólica menstrual?

    Falar que nem toda mulher menstrua, ou que nem só mulher menstrua, é entrar em um assunto polêmico. 

    Algumas pessoas acreditam que a menstruação, acompanhada da capacidade de dar à luz, é o que torna os corpos femininos especiais e únicos. 

    No entanto, é preciso despir a sociedade do preconceito e vestir de informação. 

    Homens trans e pessoas não binárias podem menstruar, vivenciam períodos de sangramento, TPM, dor e cólicas como aquelas que se identificam com o gênero de nascimento. Saiba mais sobre o assunto!  

    Remédios ajudam a aliviar a cólica?

    Se usado da forma correta, até pode sim. Mas, você precisa saber sobre o que iremos falar agora…

    Todo remédio em excesso pode trazer efeitos colaterais para o organismo. 

    Analgésicos leves como escopolamina e dipirona podem ser usados ao longo do período menstrual (5 - 7 dias) sem muito prejuízo. No entanto, o excesso pode causar náusea e constipação. 

    Anti-inflamatórios, muitas vezes utilizados para dor de cabeça na TPM, não são indicados para uso prolongado pelo risco de distúrbios no estômago e modificação do funcionamento intestinal. 

    Há opções melhores do que remédios para o alívio da cólica.

    Coletor Menstrual pode causar cólicas?

    Nãooo! A cólica acontece no seu útero e o coletor fica na vagina, por isso uma coisa não tem relação.

    Mas você pode sentir incômodos muito parecidos com cólica menstrual se: 

    • O coletor não foi posicionado corretamente;
    • Há muito vácuo;
    • O coletor for muito grande.

    Para que você não passe por isso, você pode entrar neste conteúdo para conferir -> Tudo o que você precisa saber sobre coletor menstrual

    Como aliviar a cólica menstrual em poucos minutos, sem precisar de remédios!

    Temos certeza que você já se deparou com vários métodos para isso na Internet.

    Mas quero te contar uma coisa: o melhor está por vir!

    Digo isso porque no dia 16 de Agosto de 2021 vamos lançar um novo produto capaz de trazer alívio e conforto nos seus dias de cólica!

    Tudo isso, sem precisar de remédios ou de receitinhas mágicas…

    ...afinal, esse novo possui dados científicos comprovando total eficácia!

    E aí, você vai garantir o seu quando ele já estiver disponível?!

    Corre que, se você está lendo esse artigo a partir do dia 16 de Agosto de 2021 ele já está disponível…

    Mas pode estar com as unidades quase esgotadas!

    Fique por dentro de tudo que está acontecendo no nosso Mundo Fleurity através do nosso Instagram e não perca os próximos conteúdos!