Progesterona baixa: o que isso significa na sua vida?

Seja na caixa do anticoncepcional ou no resultado do exame de sangue, o fato é que você provavelmente já ouviu falar sobre a progesterona em algum momento da sua vida.

Mas você sabia que a progesterona baixa pode ser um grande problema para quem está tentando engravidar? E que ela pode ser a grande vilã da falta de apetite sexual nas mulheres?

Se você respondeu não, fique tranquila! No blog de hoje, vamos conhecer um pouco mais sobre esse que é um dos principais hormônios femininos e entender como ele funciona no nosso corpo. Confira!

O que é e qual é a função da progesterona no corpo?

A progesterona é um dos principais hormônios femininos e é responsável por regular o ciclo menstrual e preparar o útero da mulher para receber e fixar o óvulo fertilizado em caso de gravidez.

Algumas das suas principais funções no corpo da mulher são:

  • Preparar o endométrio para implantação do óvulo;
  • Sustentar o feto no útero até o final da gestação;
  • Estimular a produção do leite materno;
  • Estimular o desejo sexual e a libido feminina;
  • Ajudar no controle do peso e na manutenção das taxas de açúcar no sangue;
  • Auxiliar na produção do colágeno;
  • Manter os ossos fortes;
  • Ajudar a regular o sono e o humor;
  • Inibir a ação de hormônios responsáveis pelas acnes e pela queda de cabelo.

No geral, a progesterona é produzida pelo corpo lúteo, que é uma glândula que se forma no ovário durante a ovulação. Mas ela também pode ser produzida pelas glândulas suprarrenais e pela placenta durante a gravidez.

👉 Saiba mais: Como a fase lútea pode afetar a fertilidade?

Progesterona e o ciclo menstrual

Como um hormônio tipicamente feminino, a progesterona pode afetar todas as áreas da vida da mulher. Entretanto, é no ciclo menstrual que mais percebemos a sua ação no nosso corpo.

Os níveis de progesterona aumentam logo após o período de ovulação e se mantêm altos caso haja uma gravidez. Essa alta é fundamental para tornar as paredes do útero mais grossas e aptas para comportar o feto durante a gestação. 

Caso não haja fecundação, ou seja, se a mulher não engravidar, o corpo lúteo se desfaz e os níveis de progesterona começam a cair. Com isso, o revestimento do útero é interrompido e eliminado através da menstruação.

Ou seja, a progesterona é a grande responsável pelo nosso ciclo menstrual.

O que causa a progesterona baixa?

Em casos gerais, pode-se considerar como progesterona baixa valores inferiores a 10 ng/mL. O mais comum é que a causa para essa queda seja alguma alteração no processo de ovulação.

As principais coisas que podem causar essa alteração e, consequentemente, a baixa desse hormônio no organismo são:

Além disso, existe uma condição específica chamada Defeito da Fase Lútea (LPD) que acontece quando o corpo simplesmente não consegue produzir progesterona suficiente para suportar o processo da gestação.

Em todos os casos, é preciso a orientação de um médico especialista no assunto para identificar a causa da progesterona baixa e possíveis tratamentos para regular os níveis hormonais.

Quais são os valores normais de progesterona?

Os níveis de progesterona podem variar de pessoa para pessoa e também de acordo com a fase do ciclo menstrual. Em alguns momentos, a taxa hormonal pode cair e ainda assim não ser considerada como progesterona baixa.

Por isso, não é possível falar em valores “normais”. Mas, geralmente, os valores médios de referência para progesterona em uma mulher adulta são:

  • Fase folicular: 0,15 a 0,70 ng/mL;
  • Fase lútea: 2 a 25 ng/mL;
  • Primeiro trimestre da gravidez: 7,25 a 44 ng/mL;
  • Segundo trimestre da gravidez:  19,5 a 82,5 ng/mL;
  • Terceiro trimestre da gravidez: 65 a 229 ng/mL;
  • Menopausa: menos de 0,4 ng/mL.

  • 👉
    Lembrete: esses são apenas valores de referência. O exame sempre deve ser avaliado por um profissional para entender se os valores são estão dentro do esperado para a sua condição de saúde.

    Quais são os sintomas de baixa progesterona?

    Apesar de só ser possível identificar a progesterona baixa através de exames específicos, existem alguns sinais de alerta que podem indicar uma alteração hormonal:

    • Ciclos menstruais irregulares;
    • Menstruação muito intensa por muitos dias;
    • Sangramentos de escape;
    • Dificuldade para engravidar;
    • Ganho de peso;
    • Dores de cabeça frequentes;
    • Alterações repentinas de humor;
    • Perda da libido;
    • Ressecamento vaginal;
    • Insônia.

    Nenhum desses sintomas isolados é uma confirmação de progesterona baixa. Entretanto, é importante ficar atenta a qualquer mudança no nosso corpo e visitar um ginecologista de confiança regularmente.

    O que acontece quando a progesterona está muito baixa?

    A progesterona baixa pode afetar a vida sexual de qualquer mulher, mas o principal impacto está relacionado a problemas de fertilidade, gravidez ectópica ou aborto espontâneo em mulheres grávidas.

    Isso porque, como vimos, esse é o hormônio responsável por preparar o útero para a gestação. Quando a produção hormonal não é suficiente para isso, a menstruação acontece normalmente eliminando também o óvulo fecundado.

    Se houver progesterona baixa na gravidez, pode acontecer uma gravidez ectópica, quando o óvulo se fixa fora do útero, um aborto espontâneo ou um parto prematuro, se a queda do hormônio acontecer já no final do segundo trimestre da gestação.

    O que fazer quando a progesterona está baixa?

    O tratamento para progesterona baixa são as terapias de reposição hormonal através de comprimidos, adesivos ou cremes injetados diretamente na vagina por um obstetra ou ginecologista.

    Além disso, como esse é um hormônio produzido naturalmente pelo corpo, também existem algumas maneiras de estimular a sua produção:

    • Consumir alimentos ricos em vitamina B6, como melancia, ameixa e banana;
    • Fazer suplementação de magnésio;
    • Aumentar o consumo de alimentos ricos em vitamina C, como laranja, abacaxi e couve flor;
    • Beber bastante água;
    • Controlar os níveis de estresse;
    • Manter o controle do peso.

    🏆 Dica de ouro: o abacate é uma fruta rica em magnésio e vitamina B6, ou seja, é um grande aliado para aumentar a progesterona baixa.

    Gostou de saber mais sobre esse assunto? Então, clique aqui para conferir o blog da Fleurity e aprender mais sobre saúde da mulher, sexualidade e menstruação. Até lá! ❤️

    Carrinho de compras

    Não há mais produtos disponíveis para compra

    Seu carrinho está vazio.

    ✔️ Produto adicionado com sucesso.